Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
28 de janeiro de 2022
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE

Victória Sales e Priscilla Peixoto – Da Revista Cenarium

MANAUS – O prefeito de Manaus, David Almeida (Avante), declarou, durante coletiva de imprensa, na manhã desta quinta-feira, 1, que não vai participar da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19, no Senado Federal, alegando que o requerimento que demandava a presença dele e da secretária municipal de Saúde (Semsa), Shádia Fraxe, foi negado.

David declarou ainda não ter recebido valores para o tratamento com medicamentos, como Ivermectina e Dexametasona, que são ineficazes contra a Covid-19, na segunda onda da pandemia em Manaus. “Sobre eu ser convocado, quero dizer que da Covid-19 nós não recebemos dinheiro, então eu só tenho que falar do que foi passado atrás”, afirmou David Almeida, negando sobre os gastos da Prefeitura de Manaus com mais de R$ 360 mil em medicamentos sem comprovação científica.

Veja o vídeo:

Compra de medicamentos sem eficácia comprovada (TV Cultura/TV Cenarium)

Convocação

O requerimento que convocava a presença de David Almeida e de Shádia Fraxe foi pedido no dia 28 de abril pelo senador Marcos Rogério (DEM-RO), mas, apesar de ter sido arquivado, ainda segue na lista de requerimentos para serem analisados.

Ainda em coletiva, em tom de ironia, o prefeito de Manaus afirma que não existe mais convocação para a CPI da Covid-19. “Sobre aquele requerimento que solicitava a minha presença e a da Shádia foi negado e arquivado pela CPI. Então, não tem nenhuma convocação e, se tivesse, eu iria depor”, explicou.

Insistência

Vale relembrar que quando David assumiu o cargo de prefeito, no início deste ano, o gestor fechou um acordo com o então ministro da Saúde Eduardo Pazuello, para implantar o tratamento precoce contra a Covid-19 nas UBSs, fazendo de Manaus uma “cobaia” para o Brasil e para o mundo sem, ao menos, consultar a população.

O ex-secretário de Saúde do Amazonas, Marcellus Campelo, confirmou, durante o depoimento na CPI da Covid-19, no Senado, no dia 15 de junho, a informação, sobre o procedimento médico piloto, em Manaus.

Senador contesta

Em uma entrevista cedida para um veículo de comunicação local, o senador Eduardo Girão (Podemos-CE) afirmou que a cúpula quer “proteger” o mau uso dos recursos públicos e ressaltou a forma em que, segundo ele, “estranha” os nomes de David e Shádia serem retirados de pauta.

“Sempre que posso, tenho cobrado para que façamos o trabalho por completo. Entendo que o governo federal precisa ser investigado, mas também acredito que governos estaduais e municipais também precisam, já que receberam centenas de milhões de reais”, declarou Girão ao veículo de comunicação local.