23 de janeiro de 2021

Gabriel Abreu – Da Revista Cenarium

MANAUS – Um evento promovido pela Câmara de Comércio Brasil-Israel debateu pela primeira vez inovações tecnológicas israelenses para o desenvolvimento sustentável da Amazônia. As discussões dessas tecnologias foram apresentadas na última quinta-feira, 26, em um webnário transmitido pelo YouTube e contou com a participação do embaixador de Israel, Yossi Shelley e do vice-presidente do Brasil, Hamilton Mourão.

Durante o evento foram apresentadas inovações de Israel que estão chegando ao  Brasil em primeira mão, como: soluções que registram a produtividade e saúde de cada árvore (uma espécie de waze das árvores), tecnologias que usam imagens de satélite e inteligência artificial para aumentar a produtividade em silvicultura, agricultura e mineração, drones para prevenir queimadas  e  tecnologia para o desenvolvimento de novos medicamentos no espaço.

No webnário transmitido pelo YouTube foram ouvidos representantes de empresas israelenses de tecnologia, empresas nacionais que atuam na região amazônica e representantes do Amazonas.

De acordo com o embaixador de Israel, a parceria entre Brasil e Israel se faz necessária por conta que o mundo está voltado para as políticas públicas que são exercidas pelo governo brasileiro para a prevenção da Amazônia.

“O Amazon Tech é a primeiro evento da BRIL na Amazônia para promover o intercâmbio de tecnologia, conhecimento e parcerias entre Brasil e Israel. Todos sabemos o potencial da floresta e a grande oportunidade de desenvolvimento dessa região”, observou Shelley.

Segundo o presidente da Câmara Brasil-Israel, Renato Ochman, busca dinamizar o relacionamento entre empresas israelenses com as empresas da Amazônia, já que nos últimos 15 anos o fluxo de negócios entre Brasil e Israel cresceu muito, principalmente no segmento tecnológico.

“A ideia é que temos agora neste mandato é, não só aumentar os negócios, mas aproximar estas entidades brasileiras-israelenses. As ferramentas tecnológicas que deram certos em diversos setores de Israel, pretendemos oferecer também ao Brasil. Um destes setores que acreditamos ser importante para o país é o agronegócio e a sustentabilidade do meio ambiente. E para fazer isso, percebemos que não faz sentido ter apenas uma câmara em São Paulo. Agora estamos implementando duas unidades regionais: uma na Amazônia e outra em Mato Grosso”, disse Renato.

Participação do Amazonas

A secretária executiva de Ciência, Tecnologia e Inovação da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti), Tatiana Schor, participou como moderadora do Painel Biodiversidade e marcou a inauguração da regional da Câmara Brasil – Israel (BRIL Chamber) no Amazonas.

“O lançamento dessa regional da Câmara Brasil – Israel aqui no Amazonas é muito importante porque nos abre possibilidades de fazer vários acordos de cooperação técnica com algumas universidades de Israel na área de fortalecimento em CT&I e em Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC).   Lá existem muitas universidades interessantes nessas áreas e é um país com referência mundial nesse setor. Isso pode potencializar o desenvolvimento de tecnologias de ponta para o Estado do Amazonas”, avalia Tatiana Schor.

Primeira vez

O Amazon Tech Summit foi o primeiro evento internacional de uma série de discussões do BRIL Think Tank para abordar temas de interesse binacionais. O evento contou com quatro painéis: 1 – Painel “Amazônia Sustentável: Pensamento e ação”; 2 – Painel “Tecnologias Israelenses”; 3 – Painel “Neutralização de Carbono” e 4 – Painel “ Meio Ambiente na Visão das maiores empresas brasileiras”.

O Painel Meio Ambiente na Visão das maiores empresas brasileiras reuniu grandes empresas como Suzano, Itaú – Unibanco e O Boticário, além da participação de Denis Benchimol Minev e Jacques Marcovitch (ambos da Fundação Amazonas Sustentável – FAS) e da cientista política Ilona Szabó, entre outros especialistas.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.