Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
21 de novembro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Luís Henrique Oliveira – Da Revista Cenarium

Centenas de moradores do município de Coari (a 363 quilômetros de Manaus), que aguardavam por horas para receberem benefícios previstos em programas sociais do Governo do Amazonas, tiveram que voltar para suas casas de “mãos vazias”, neste sábado, 20. O motivo é o processo ajuizado pelo candidato a prefeito de Coari Keitton Pinheiro (Progressistas) contra as ações sociais.

Keitton é aliado e parente dos ex-prefeitos Adail Pinheiro e Adail Filho, que buscou a Justiça Eleitoral para impedir o trabalho dos agentes do governo. Ele alegou que se sente eleitoralmente prejudicado com a distribuição dos benefícios. Coari passará por uma eleição suplementar no dia 5 de dezembro, após a cassação de Adail Filho.

Os benefícios previstos para serem entregues por agentes do Governo do Amazonas estão dentro das diretrizes de programas sociais da Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas) e do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-AM), informou a Secretaria de Estado de Comunicação (Secom).

Vídeo mostra momento que benefícios são entregues durante ação em Coari. (Reprodução)

‘Mãos vazias’

Em Coari, centenas de moradores voltaram para casa de “mãos vazias” e realizaram manifestações nas ruas da cidade, após serem proibidos de receber benefícios sociais do Governo do Amazonas, como mostram imagens feitas por alguns manifestantes.

Parte da população foi às ruas protestar contra a proibição do recebimento dos benefícios. (Divulgação)

Indignado, um dos moradores de Coari, o comerciante Jackson Almeida, 38 anos, disse que a população não pode ser prejudicada por interesses eleitorais e relembrou que os benefícios programados para serem entregues são direitos civis.

No local de entrega dos benefícios, agentes do Governo do Amazonas colocaram placas proibindo ações eleitorais. (Reprodução)

“A Justiça não poderia deixar que o povo fosse comprometido nessa briga deles pelo poder. Está todo mundo aqui esperando desde cedo e, agora, vamos embora para casa de mãos vazias. É revoltante demais!”, afirmou.

Entre os benefícios a serem distribuídos em Coari, estavam a entrega de cartões do Auxílio Estadual, cestas básicas e material para concessão gratuita da Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

“A CNH era muito esperada pelos moradores de Coari, porque após o processo de entrega do documento aos motoristas de carro e motocicleta, a carteira amplia as oportunidades de trabalho na cidade”, declarou a professora Jamily Souza, 33 anos.

Prejudicado

Para impedir a realização das ações sociais, Keitton Pinheiro justifica que Robson Tiradentes Júnior (PSC), seu adversário no pleito, pode ser beneficiado com as ações sociais do Governo do Amazonas.

Moradores de Coari se indignaram com a justificativa de Pinheiro. “A Justiça viu o lado do Keitton e esqueceu o lado da população. Que Justiça é essa que só pensa nos políticos?”, questionou a dona de casa Maria da Encarnação, 45 anos.

Mulheres com filhos no colo lamentaram o impedimento dos benefícios, após horas de espera. (Reprodução)

A operação para impedir a distribuição dos benefícios sociais em Coari conta com ação de agentes do Ministério Público (MP-AM) e Polícia Civil, além de servidores do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM), que apreenderam cestas básicas e cartões emergenciais.

Procurado pela reportagem, o candidato a prefeito de Coari, Keitton Pinheiro, não se manifestou para falar sobre o assunto. No grupo político dele, havia comemoração pela ação da Justiça contra a entrega dos benefícios sociais no município.

Governo se pronuncia

Em nota, o Governo do Amazonas se pronunciou sobre a situação em Coari:

“O Governo do Amazonas informa que as ações do Estado realizadas, neste sábado, no município de Coari, como entregas do Auxílio Estadual e do Peixe no Prato Solidário, fazem parte de programas que atendem necessidades urgentes da população, sobretudo pessoas em situação de pobreza e extrema pobreza, duramente afetadas pela pandemia da Covid-19. Por essa razão, tomará as providências cabíveis para esclarecer os fatos e retomar as entregas o mais breve possível, cumprindo com o dever de prestar serviços à população, sem prejuízos principalmente às famílias de Coari”, diz a nota.

Em relação ao Auxílio Estadual, Coari é o terceiro município do interior atendido com o programa de transferência de renda. O próximo será Tabatinga. A programação para as semanas seguintes inclui municípios das calhas do Alto Solimões, Baixo Amazonas, Baixo Solimões, Madeira, Médio Solimões e Purus.

O Governo do Estado informa, ainda, que o Peixe no Prato Solidário também é um programa voltado à segurança alimentar de famílias carentes e que, da mesma forma, tem um cronograma de atendimento, sendo Coari o sétimo município a receber a ação no interior. O Peixe no Prato já atendeu a famílias de Maués, Codajás, Parintins, Rio Preto da Eva, São Gabriel da Cachoeira, Anamã e Novo Aripuanã.

O Governo esclarece, também, que não houve apreensão de aviões e embarcações do Estado.