Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
23 de janeiro de 2022
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE

Com informações do site Aeroin

MANAUS – Um avião monomotor com vacinas a bordo fez uma curva errada após a decolagem e acabou entrando em rota de colisão com um jato da GOL, no Paraná.

O caso aconteceu na manhã desta terça-feira, 19 de janeiro de 2021, e envolveu um Boeing 737-800 da GOL de matrícula PR-GUC e um Cessna C208 Caravan do governo do Paraná, de matrícula PP-MMS. O C208 levava doses da vacina CoronaVac para Londrina e decolou do Aeroporto Bacacheri, na região mais central da capital paranaense.

O jato da GOL, por sua vez, cumpria o voo G3-1212, procedente de Guarulhos, e se aproximava do Aeroporto Internacional Afonso Pena em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, quando ficou em rota de colisão com o C208.

Em um áudio da frequência de Controle Aéreo obtido pelo AEROIN, nota-se que a controladora instruiu o jato da GOL a abandonar a aproximação para o Afonso Pena, para não colidir com o Cessna C208 Caravan, que tinha o indicativo de chamada (callsign) Resgate 03.

Rota das aeronaves. (Reprodução/NH)

De imediato, os pilotos da GOL fazem uma curva para evitar a colisão e também respondem à controladora, cortejando a informação.

Neste momento, é possível ouvir o alarme de desativação do piloto automático do Boeing 737, apontando que a aeronave estava em modo automático e os pilotos precisaram desativá-lo para tirá-la da rota de colisão.

O piloto da GOL também confirma TCAS RA, que é o Resolution Advisory, que é um comando de voz para evitar uma colisão, indicando para subir ou descer. Este aviso de RA só é dado quando o jato está a 3 milhas náuticas (5,5km) de distância da outra aeronave ou a 25 segundos ou menos do impacto.

Momento em que a controladora instruiu o jato da GOL para que não houvesse a colisão.

Em seguida quem fala é o Resgate 03, informando que está corrigindo sua rota e voltando para a curva prevista, que era para a esquerda e não direita.

Por ser uma situação chamada de close-call, onde um acidente fica próximo de acontecer, uma investigação do CENIPA provavelmente será aberta a fim de apurar o ocorrido.

No entanto, no momento, não é possível afirmar o que levou o C208 a fazer a curva para o outro lado, assim como quão distantes as aeronaves ficaram, já que os dados de aplicativos de rastreamento de voo como o FlightRadar24 não tem uma precisão tão exata.

Governo do Paraná

O Governo do Paraná afirmou ontem, 19, que o Cessna C208 Caravan que entrou em rota de colisão com o Boeing 737 da GOL fez curva para o lado errado por causa de erro do piloto automático.

Em nota o governo afirma que segundo relato do comandante da aeronave prefixo PP-MMS, após todos os procedimentos técnicos de decolagem, o piloto automático, devidamente acoplado, apresentou uma atitude inesperada, curvando à direita. Diante disso, a tripulação tomou os procedimentos técnicos necessários, porém este não respondeu de imediato, e logo após foi obtida a informação de tráfego. Nesse momento, foi desacoplado o piloto automático e retomado o procedimento de decolagem sem o auxílio do equipamento.

O governo ressalta que não houve um acidente, mas um incidente, o qual foi devidamente reportado às autoridades aeronáuticas. Dentro da dinâmica da aviação, foram tomadas as medidas técnicas mitigadoras para manter a segurança de voo. Isso significa que a tripulação estava atenta e segura em seus procedimentos.

Após a Casa Militar tomar conhecimento do fato, determinou que a aeronave permanecesse em solo, até a intervenção de manutenção. Nesse tocante, destaca que todas as aeronaves sob responsabilidade do órgão estão com suas manutenções em dia. Em relação ao incidente, sem prejuízo da apuração aeronáutica, a Casa Militar irá realizar uma averiguação interna do ocorrido.