2 de março de 2021

Gabriel Abreu – Da Revista Cenarium

MANAUS – A cheia dos rios no Acre já deixou mais de 130 mil pessoas atingidas na capital e no interior do Estado. O governador do Acre, Gladson Cameli (PP-AC), decretou, na terça-feira, 16, situação de emergência devido à cheia dos rios e também pelo surto de dengue, crise migratória na fronteira do Acre com o Peru e a falta de leitos de UTI para pacientes com Covid-19.

No total, são dez cidades afetadas: Rio Branco, Cruzeiro do Sul, Tarauacá, Feijó, Sena Madureira, Santa Rosa do Purus, Jordão, Porto Walter, Mâncio Lima e Rodrigues Alves.

A enchente dos rios Acre, Juruá, Envira, Iaco, Purus e outros mananciais, além do transbordamento dos igarapés, atinge centenas de famílias. Os moradores das cidades atingidas estão sendo levados para abrigos montados em escolas, igrejas, ginásios, quadras esportivas e barcos. Além dos desabrigados, há várias famílias desalojadas.

Rio Branco

A capital tem mais de 25 mil pessoas atingidas direta e indiretamente pelas águas em 22 bairros. O Parque de Exposições Wildy Viana, que fica no Segundo Distrito, já abriga pelos menos 58 famílias.

Homens da Defesa Civil de Rio Branco trabalhando (Reprodução/Divulgação-Defesa Civil)

Neste sábado, 20, o rio Acre apresentou leve vazante e marcou 15,58 metros. Conforme os dados da Defesa Civil, 75 famílias estão desabrigadas e 128 desalojadas na capital acreana.

Tarauacá

É de Tarauacá que vem a imagem que está circulando nos principais sites de notícias do País, o médico Rodrigo Damasceno atendendo um bebê, que está com pneumonia, dentro da água viralizou nas redes sociais e chamou a atenção.

A foto mostra o médico com a água acima da cintura ouvindo os batimentos de uma criança com um estetoscópio, enquanto a mãe segura o filho no colo dentro de uma canoa.

O médico Rodrigo Damasceno atendendo um bebê de dois anos com pneumonia (Reprodução/Lucas Melo)

De acordo com a Defesa Civil Municipal, a cidade de Tarauacá tem 28 mil moradores afetados com a enchente do rio que leva o mesmo nome do município, dos nove bairros que há na cidade, apenas um não foi atingido pelas águas. Cerca de 90% do município está afetado pela enchente.

O rio está com o nível de 11,05 metros, de acordo com a medição do Corpo de Bombeiros feita às 6h deste sábado, 20. A cota de transbordo é de 9,50 metros, ou seja, o rio está 1,55 acima do nível máximo estipulado para transbordar. A maior cota já registrada na cidade foi 11,93, em 2014.

Mais de 70% de Tarauacá já foi atingida pela cheia do rio (Reprodução/Neto Lucena)

Monitoramento

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) realiza o monitoramento constante do nível dos rios e das previsões de chuvas para auxiliar na tomada de decisão dos órgãos de Defesa Civil, tanto municipais quanto estadual. Os relatórios são elaborados pela Sala de Situação do Centro Integrado de Geoprocessamento e Monitoramento Ambiental (Cigma).

Confira no mapa a distribuição das plataformas de monitoramento (Reprodução/Sema-AC)

Todos os anos, neste período de cheia dos mananciais, a equipe realiza esse trabalho diário de acompanhamento constante do nível dos rios, bem como acessam outras plataformas disponíveis para detalhar ainda mais os produtos lançados.

Uma das estratégias adotadas é realizar o monitoramento da chuva acumulada, por meio de satélites, das bacias hidrográficas do Estado do Acre, da Bacia do Rio Madeira e da região MAP, que compreende Madre de Dios, no Peru, o Acre no Brasil e Pando na Bolívia.