28 de outubro de 2020

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC

Mencius Melo – Da Revista Cenarium

MANAUS – Com o objetivo de fazer a engrenagem da cultura se movimentar e com isso tentar alavancar o mercado das artes, duramente afetado pela pandemia, a Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa (SEC) garimpou uma série de editais abertos em todo País.

A ideia é oferecer alternativas para projetos de cunho cultural e que estejam dentro dos padrões exigidos pelos fomentadores. São editais variados que vão da dança à fotografia, passando também pela literatura e indo até a fotografia. A proposta é agregar o máximo de expressões possíveis.

Entre os listados estão aqueles lançados pela Fundação Nacional das Artes (Funarte) para diversos segmentos artísticos. Há ainda o edital da Vale, do Itaú e do Prêmio Hera de fotografia. Todos com valores variados e dentro das mais variadas perspectivas de orçamento.

O primeiro destaque é o Prêmio Funarte Festivais de Música 2020. A Funarte lançou, no dia 24 de setembro, o Prêmio Funarte Festivais de Música 2020. O edital é válido em todo o Brasil, com inscrições gratuitas. As inscrições vão até o dia 09 novembro.

A metodologia é simples: por meio do concurso, serão selecionadas 24 propostas para a realização de espetáculos musicais, debates, palestras e oficinas, entre outras atividades (virtuais ou presenciais) que estejam relacionadas a festivais de música considerados relevantes no País. Cada projeto contemplado receberá R$ 40 mil. O total destinado à ação é de R$ 1 milhão.

Setor estagnado

Primeira vítima comercial da pandemia, o circuito de festivais praticamente estagnou. O objetivo da iniciativa é apoiar um setor que foi fortemente impactado pela pandemia de Covid-19, deixando um enorme contingente de desempregados.

Outro edital é o Prêmio Festival Funarte Acessibilidança Virtual 2020. A Funarte lançou este edital no dia 20 de agosto e também é válido para todo o País. Por meio do processo seletivo, serão contempladas 25 companhias de dança, que tenham como concepção cênica a acessibilidade. As inscrições vão até 05 de outubro.

O edital tem por objetivo “valorizar e fortalecer a expressão da dança brasileira, assim como possibilitar a sua democratização, inclusão e acessibilidade”. O prêmio contemplará com R$ 31,2 mil cada uma das propostas vencedoras, sendo cinco delas de cada uma das cinco regiões do Brasil.

Arte por toda parte

A Funarte também aposta na pulverização de pequenos orçamentos. Edital Funarte Arte em Toda Parte vai premiar 494 oficinas em vídeo que estimulem as práticas e o pensamento direcionados a artes visuais, circo, dança, teatro e música. Cada premiado receberá R$ 4 mil (valor bruto). Com inscrições gratuitas, a iniciativa integra o Programa Funarte de Toda Gente. As inscrições vão até o dia 02 outubro.

Para esse certame, as oficinas deverão ter caráter técnico e ser gravadas em vídeos para difusão em plataformas digitais. Os trabalhos contemplados serão disponibilizados gratuitamente pela Funarte, em site a ser indicado e nas redes sociais da instituição.

Ainda na seara da Funarte tem o Prêmio Funarte Artes Visuais 2020/202. A Funarte lançou o edital para todo o País com valor que chega a R$ 650 mil. O prêmio contempla exposições virtuais com entrada gratuita. Por meio do concurso, a entidade selecionará cinco projetos para exposições de vídeo ou fotografia que englobem as diversas linguagens das artes. Cada um dos autores contemplados ganhará um prêmio de R$ 130 mil (valor bruto).

As propostas devem considerar a herança histórica do País, presente nas artes plásticas e visuais, na arquitetura e nos espaços urbanos das cidades brasileiras; e ter como referência “a herança histórica da cidade do Rio de Janeiro, a partir de seu patrimônio arquitetônico e/ou urbano; e/ou por meio da produção das artes plásticas e visuais”.

Os projetos precisam apresentar a relação desse legado com o(s) de outra(s) cidade(s) do País, utilizando, necessariamente, na construção do argumento do trabalho, “dois eixos de diálogo de cunho histórico e artístico”. Para mais informações basta acessar o link.

Fotografia

Para os fotógrafos, a Funarte também reservou espaço. Está aberto o edital Bolsa Funarte de Estímulo à Conservação Fotográfica Solange Zúñiga – 2020. Esta é a segunda edição do edital publicado pela Funarte, que concede bolsas de estímulo à conservação e preservação de fotografia. A ação integra o Programa Funarte de Toda Gente. As inscrições vão até o dia 19 de outubro.

Direcionado ao Brasil de norte a sul, o processo seletivo vai contemplar projetos de pesquisa, com textos nos campos da conservação e da preservação fotográficas. Serão concedidas cinco bolsas de R$ 40 mil cada. Podem candidatar-se pessoas físicas, residentes em qualquer lugar do Brasil, que atuem nas áreas técnicas relacionadas ao concurso. As inscrições são gratuitas.

Outro edital voltado para fotografia é o O Prêmio Hera 2020 está com as inscrições abertas para premiar os autores das melhores fotografias de casamento em seis categorias: Cerimônia, Recepção, Making of, Ensaio Pré-casamento, Ensaio de Noivos e Boudoir.

Cada participante pode concorrer enviando até duas fotos por categoria. As taxas são de R$ 15 e R$ 25 para 6 e 12 fotos, com desconto para inscrições antecipadas. Acesse o regulamento e preencha o formulário de inscrição. Inscrições até o dia 15 de novembro.

A vez da Vale

Já a gigante Vale apresenta a chamada Vale de Patrocínios Culturais. A Chamada Vale de Patrocínios Culturais tem o objetivo de fomentar a realização de projetos culturais que valorizem os patrimônios e identidades brasileiras. Os projetos deverão ser executados ao longo de 2021. Inscrições até o dia 14 de outubro.

Cada proponente poderá inscrever até três projetos e o edital disponibiliza um total de R$ 20 milhões, dividido por faixa de valor dos projetos. As áreas contempladas são: Festividades, Circulação, Música, Patrimônios Material e Imaterial, Museus e Memória.

No campo da literatura foi lançado o Edital Leia para uma Criança 2021. O Edital Itaú Leia para uma Criança 2021 selecionará duas obras de literatura infantil, com foco na valorização e no protagonismo de pessoas, histórias e/ou culturas negras e indígenas, já publicadas, para fazer parte da Coleção de livros infantis, e para serem distribuídas gratuitamente em 2021.

O ineditismo não é obrigatório, porém, é vedada a participação àquelas que já foram agraciadas em outra edição do prêmio. Podem se inscrever todas as editoras brasileiras, desde que não tenham sido contempladas no último edital (relativo à Coleção de livros infantis de 2020).

Cada editora poderá inscrever até cinco títulos por CNPJ e os livros devem ser obras infantis de literatura (prosa ou poesia), recentes ou reeditadas, de até 50 páginas, voltadas para crianças de 0 a 6 anos.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.