Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
19 de abril de 2021

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC
Acompanhe nossas redes sociais

Com informações assessoria de comunicação

MANAUS – A Associação de Sustentabilidade, Empreendedorismo e Gestão em Saúde do Amazonas (Segeam) enviou, na última quinta-feira, 25, documentação comprobatória à Secretaria de Estado da Saúde (SES-AM) dos pagamentos efetuados aos enfermeiros vinculados à instituição, em meses anteriores a janeiro, rebatendo denúncia falsa feita pelo Sindicato dos Trabalhadores em Santas Casas, Entidades Filantrópicas e Religiosas e Estabelecimentos de Saúde do Estado do Amazonas (Sindpriv-AM) de que os profissionais estariam há quatro meses sem receber.

Durante participação remota, em reunião que contou com a participação de membros da SES, deputados estaduais e do próprio Sindpriv, a presidente da Associação, enfermeira Karina Barros, explicou que os pagamentos têm sido efetuados com regularidade, imediatamente após a liberação dos valores pela SES, evitando prejuízos aos enfermeiros.

“Iniciamos os pagamentos relativos a janeiro de 2021 há alguns dias, abrangendo os profissionais que atuam nos Hospitais e Prontos-Socorros 28 de Agosto, João Lúcio e Platão Araújo e, até a próxima semana, concluiremos os pagamentos dos demais enfermeiros que atuam em outras unidades de saúde do Estado, como maternidades, por exemplo”, frisou.

De acordo com ela, não há pendências relacionadas a meses anteriores junto aos enfermeiros. Os comprovantes dos pagamentos de janeiro estão sendo encaminhados ao Ministério Público do Trabalho (MPT), para o acompanhamento, medida que dará mais transparência ao processo.

De acordo com Karina Barros, os enfermeiros que atuam na rede pública estadual de saúde têm sido essenciais no combate à pandemia da Covid-19, atuando na linha de frente na atenção especializada e ajudando a salvar vidas.

“Por isso, decidimos nos manifestar e desmentir a informação falsa de que estaríamos atrasando a folha há quatro meses. Temos cumprido com todos os direitos trabalhistas, seguindo à risca o que prevê a legislação”, afirmou. Sobre as denúncias falsas e levianas feitas pelo Sindpriv publicamente, Karina Barros explicou que o departamento jurídico da Associação avalia a questão para a adoção das medidas judiciais cabíveis.