Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
25 de janeiro de 2022
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE

Com informações da Agência Brasil

ESTADOS UNIDOS – Num dia de alívio no mercado internacional, o dólar caiu e distanciou-se da barreira de R$ 5,70. A bolsa de valores subiu pelo segundo dia seguido, mas não conseguiu reverter a queda da semana. O dólar comercial encerrou na sexta-feira (7) vendido a R$ 5,632, com recuo de R$ 0,048 (-0,85%). A divisa chegou a subir durante a manhã, atingindo R$ 5,70 na máxima do dia, por volta das 10h30.

No entanto, perdeu força e caiu após a divulgação de que a geração de empregos, em janeiro, nos Estados Unidos foi mais fraca que o esperado. Apesar da queda pelo segundo dia consecutivo, o dólar fechou a primeira semana de 2022 com alta de 1,05%. Na última quarta-feira (5), a moeda norte-americana tinha fechado a R$ 5,71 e atingido o maior nível, em duas semanas, antes de recuar, quinta-feira (6) e sexta-feira (7).

No mercado de ações, o dia também foi marcado pela recuperação. O índice Ibovespa, da B3, fechou a sexta-feira (7) aos 102.719 pontos, com alta de 1,14%. A alta no preço das commodities (bens primários com cotação internacional) e das ações de bancos impulsionou o indicador. Mesmo com a alta de hoje, a bolsa fechou a semana com queda de 2%.

Em dezembro, os Estados Unidos criaram 199 mil empregos fora do setor agrícola. Os números ficaram abaixo da previsão dos analistas, que esperam a abertura de 400 mil vagas.

O desempenho do mercado de trabalho, mais fraco que o previsto, reduz as pressões para que o Federal Reserve (Fed, Banco Central norte-americano) aumente os juros da maior economia do planeta antes do previsto. Taxas mais altas em economias avançadas estimulam a fuga de recursos de países emergentes, como o Brasil.