Em Carauari, no AM, internet e energia de baixa qualidade deixam o município isolado

Carolina Givoni – Da Revista Cenarium

MANAUS –  Moradores de Carauari (a 787 quilômetros da capital amazonense), voltam a reclamar sobre a instabilidade dos serviços de internet oferecidos pelas operadoras de telecomunicação que atuam na região. A situação já teria sido denunciada à Câmara Municipal de Carauari (CMC).

“Possuímos cobertura de apenas três operadoras, que mal atendem às necessidades mais básicas. As ligações telefônicas são extremamente ruidosas, mandar fotos e vídeos por aplicativo de mensagens é quase impossível, infelizmente estamos nas mãos deles (operadoras), que parecem não se importar em prestar um serviço de qualidade”, disse uma das reclamantes, que preferiu não se identificar.

Nas redes sociais, as denúncias são semelhantes. Os internautas seguem cobrando o poder público, para que intervenham junto às empresas, uma melhoria dos serviços. “Serviço porco de telefonia e internet na cidade de Carauari! Uma coisa corriqueira! Vai sinal, volta sinal, vem e vai e volta e vira!!! Para quê temos uma Câmara Legislativa, que nela têm uma comissão constituída para defender o consumidor do município??? Cadê as reivindicações, as cobranças, os repúdios? (pelo menos isso) !!!!”, diz uma das postagem.

Essa não seria a primeira queixa dos cidadãos de Carauari, que por meio da CMC levaram a denúncia até Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE/AM).

“O cenário em Carauari é terrível, Claro e Oi prestam um péssimo serviço à população. Quem ainda presta um serviço ‘meia boca’ é a Vivo, que ativou uma torre com banda 4G, mas que só atende os bairros de Fátima, Morumbi e Ramalhão. Já a torre central, opera com peças totalmente danificadas e obsoletas, tem um sinal fraquíssimo e só funciona de madrugada”, disse o deputado-membro da Comissão de Defesa do Consumidor (CDC), Álvaro Campelo (PP), que atendeu a denúncia.

Velha “conhecida”

Além das operadoras, os serviços de abastecimento de energia também estariam prejudicando os consumidores da cidade. Como medida para tentar viabilizar soluções, Álvaro Campelo disse que irá notificar cada as empresas sobre os respectivos problemas citados. “O município passou 27 horas em ‘blecaute’, afetando especialmente os comerciantes de pequeno porte, que perderam frango, peixe, açaí entre outras mercadorias e amargaram enormes prejuízos, não recebendo nenhuma explicação ou resposta da Amazonas Energia”, concluiu.

No ano passado, o Ministério Público do Amazonas (MP-AM), por meio da Promotoria de Justiça de Carauari, requereu informações e providências da empresa Amazonas Energia, para promover a regularização do serviço prestado aos moradores daquele município.

Segundo o Promotor de Justiça Caio Lúcio Fenelon Assis Barros, a população local vem sofrendo com os constantes apagões ocorridos na cidade, além dos reajustes repentinos, que variam de 80 a mais de 100% no valor da tarifa, praticados pela concessionária, sem prévio aviso, notificação ou justificativa.

A REVISTA CENARIUM procurou a concessionária de energia elétrica para cobrar esclarecimentos, mas até a publicação desta matéria, a Amazonas Energia ainda não havia se manifestado.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

VOLTAR PARA O TOPO