Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
17 de abril de 2021

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC
Acompanhe nossas redes sociais

This post is also available in (Post também disponível em): English (Inglês)

Com informações da assessoria

MANAUS – A Polícia Federal (PF) prendeu dois suspeitos de transportar grande quantidade de minério pertencente à União na noite dessa sexta-feira, 2. Eles foram apresentados à PF por policiais do Batalhão Ambiental da Polícia Militar (BPAmb/PMAM).

Os policiais militares tomaram conhecimento da possível prática de crime e abordaram os suspeitos que estavam carregando, aproximadamente, 3 toneladas de produtos de origem mineral (Vivianita e Ametista), desacompanhados da documentação exigida por lei.

A Vivianita, que possui uma coloração verde semelhante à esmeralda, é um mineral raro, bastante cobiçado por colecionadores. Além disso, essa rocha é uma grande fonte de fósforo e de outros minérios. Para a exploração desses materiais, a legislação exige autorização da lavra pela Agência Nacional de Mineração, bem como a emissão da Nota Fiscal respectiva.

Diante dos fatos, a PF instaurou Inquérito Policial mediante Auto de Prisão em flagrante, com indiciamento dos indivíduos pelo crime de usurpação de bem da União. Os minérios foram apreendidos e serão submetidos a exames periciais para posterior destinação legal. Os presos foram encaminhados ao Centro de Detenção Provisória Masculino, para que lá permaneçam à disposição da Justiça Federal do Amazonas.

Operação na Amazônia

A operação “Apachetas”, deflagrada pela Polícia Federal na manhã dessa terça-feira, 30, nos Estados do Amazonas, Rondônia, Pará e Maranhão resultou, até o momento, na prisão de 18 pessoas, apreensão de 10 quilos de droga e cerca de 11 armas de fogo.

A “Apachetas” é coordenada pela Superintendência Regional no Maranhão e teve o apoio das superintendências regionais da instituição nos respectivos Estados. Dos 22 mandados de prisão expedidos na operação, 14 foram cumpridos em Pinheiro, no Maranhão, três em Manaus, no Amazonas, e um em Vilhena, em Rondônia. Segundo a PF, ainda estão em aberto dois mandados de prisão, sendo um no Pará e um no Amazonas.