Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
25 de janeiro de 2022
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
Com informações da Folha de S. Paulo

FLORIANÓPOLIS – De um lado, ex-presidentes brancos. Do outro, mulheres de proeminência nos EUA. O cara ou coroa dos americanos terá pela primeira vez uma mulher negra em suas moedas de 25 centavos, com a imagem gravada da escritora e ativista Maya Angelou.

A Casa da Moeda do País começou a distribuir nessa segunda-feira, 10, as moedas, que fazem parte do programa American Women Quarters (moedas de 25 centavos de mulheres americanas, em tradução literal), iniciativa que também inclui Anna May Wong, a primeira estrela de Hollywood sino-americana.

A escritora e ativista Maya Angelou discursa durante Convenção Nacional Democrata, em 2004
A escritora e ativista Maya Angelou discursa durante Convenção Nacional Democrata, em 2004 – Gary Hershorn – 27.jul.04/Reuters

Angelou, morta em 2014, aos 86 anos, ganhou proeminência internacional após a publicação de sua disruptiva autobiografia “Eu Sei Por Que o Pássaro Canta na Gaiola” (Ed. Astral Cultural, R$ 49,90), que traz um forte relato sobre estupro e racismo na segregada região Sul dos Estados Unidos.

Aos 7 anos de idade, a escritora foi estuprada pelo namorado de sua mãe — depois espancado até a morte em um ataque que alguns acreditam ter sido realizado por tios de Angelou. O trauma do abuso e a morte de seu autor deixaram a menina muda por seis anos, período no qual ela começou a escrever.

Chancelada com mais de 30 títulos honorários, a ativista leu “No Pulso da Manhã” na cerimônia de posse à Presidência de Bill Clinton, em 1992, marcando a primeira vez que uma mulher negra escreveu e apresentou um poema em celebração do tipo. Em 2010, Barack Obama concedeu a Angelou a Medalha Presidencial da Liberdade. Em 2013, recebeu o Prêmio Literário pela contribuição à comunidade literária.

“Toda vez que redesenhamos nossas moedas, temos a chance de dizer algo sobre o nosso País –o que valorizamos e como progredimos como sociedade”, disse a secretária do Tesouro, Janet Yellen, em comunicado. “Estou muito orgulhosa que essas moedas celebram as contribuições de algumas das mulheres mais excepcionais da América, incluindo Maya Angelou.”

O American Women Quarters traz ainda moedas com Wilma Mankiller, a primeira chefe principal da Nação Cherokee, Adelina Otero-Warren, líder do movimento sufragista do Novo México, e Sally Ride, astronauta e física que foi a primeira mulher americana a ir ao espaço.

Moeda de 25 centavos celebra Nova York como parte do programa para homenagear os 50 estados americanos, que vigorou de 1998 a 2008
Moeda de 25 centavos celebra Nova York como parte do programa para homenagear os 50 estados americanos, que vigorou de 1998 a 2008 Casa da Moeda dos EUA (Reprodução)

São quatro as moedas americanas: de um, cinco, dez e 25 centavos. Elas trazem, de um lado (cara), as imagens dos ex-presidentes americanos Abraham Lincoln (desde 1909), Thomas Jefferson (desde 1938), Franklin D. Roosevelt (desde 1946), e George Washington (desde 1932), respectivamente.

Do outro lado, as imagens variam mais com o passar do tempo, e as de 25 centavos têm sido escolhidas para edições comemorativas. Segundo a Casa da Moeda americana, de 1932 a 1998, a coroa dessas moedas mostrava uma águia de asas abertas sobre um maço de flechas, com galhos de oliva abaixo.

Nesse período, apenas nos anos de 1975 e 1976 circulou uma edição especial em celebração ao bicentenário da Independência americana, ocorrida em 1776. A moeda exibe um baterista colonial e uma tocha da vitória circundada por 13 estrelas, representando as 13 colônias originais.

Já de 1998 a 2008, a coroa mudou de design cinco vezes ao ano como parte do programa para celebrar os 50 Estados. Em 2009, foram seis alterações, desta vez em uma iniciativa para homenagear o Distrito de Columbia e territórios americanos. Na sequência, de 2010 a 2021, 56 modelos mostraram parques e atrações nacionais como parte da ação Beautiful Quarters (moedas bonitas de 25 centavos).

O programa agora em vigor, em homenagem às mulheres americanas, permanecerá em vigor por quatro anos, do início de 2022 ao fim de 2025. A cada ano, até cinco novos modelos de coroa podem ser desenhados, ampliando o número de homenageadas. Além disso, o lado da cara trará o retrato de George Washington olhando para a direita, originalmente esculpido por Laura Gardin Fraser.

Esse era o desenho quando um presidente americano passou a figurar na moeda, em 1932, mas o então secretário de Tesouro, Andrew Mallon, escolheu o modelo de John Flannigan, olhando para a esquerda.