Fisioterapeuta do RespirAR destaca nova linha de frente em projeto no Amazonas

Com informações da assessoria

MANAUS – Além de tratar as sequelas deixadas pela Covid-19, o RespirAR apresenta grandes histórias, tanto de pacientes como também de quem cuida. É o caso da Ellen Moraes, 31, que esteve na linha de frente de combate ao coronavírus e hoje atua no projeto do Governo do Amazonas, coordenado pela Fundação Amazonas de Alto Rendimento (Faar).

A fisioterapeuta trabalhou em um hospital de campanha de Manaus de janeiro a junho de 2020 e enfatiza o novo papel desempenhado por meio do RespirAR.

“Eu me sinto honrada em poder dar continuidade ao atendimento aos pacientes. Nós criamos um vínculo no hospital e poder incentivar a atividade física é superimportante para a saúde”, disse.

Emocionada, Ellen relembra momentos difíceis ao destacar a importância da fisioterapia aos acometidos pela Covid.

“Tenho uma avó de 81 anos e tive que abdicar da família para lidar com pacientes em infecção. Mas é muito gratificante, me sinto muito honrada em ter sido útil naquele momento e agora estar fazendo parte da equipe de combate aqui no RespirAR”, afirma.

Ellen Moraes integra o time formado por 14 profissionais, sendo oito fisioterapeutas e seis educadores físicos, além de quatro estagiários, que atuam no Centro de Convivência da Família Padre Pedro Vignola, no bairro Cidade Nova, zona Norte de Manaus.

O espaço é um dos Centros de Convivência, Policlínicas e Centros de Atenção Integral à Melhor Idade (Caimis) em que o RespirAR oferece atendimento em fisioterapia e atividade física visando a reabilitação cardiopulmonar. Atualmente, o Padre Pedro Vignola conta com 75 pacientes.

“Nós formamos um time e é isso que nos propomos a fazer: incentivar esses pacientes no retorno às suas atividades”, completa Ellen.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

VOLTAR PARA O TOPO