8 de março de 2021

Caroline Viegas – Da Revista Cenarium

PAÍSES BAIXOS – A Holanda, que nos últimos dias tem sofrido protestos violentos de manifestantes contrários às medidas restritivas, começou a administrar nesta quarta-feira, 27, a segunda dose da vacina contra o novo coronavírus.

Após três semanas do início da vacinação, a assistente de saúde Sanna Elkadiri, de 39 anos, que também foi a primeira a receber a vacina em solo holandês, recebeu na manhã desta quarta, 27, a segunda dose do imunizante no posto de vacinação da GGD, em Veghel. A nova rodada da vacina também começará em outros pontos do País.

Conforme anunciado pelo governo, a segunda dose segue o mesmo padrão de prioridade da primeira. Portanto, o imunizante terá a aplicação direcionada primeiro aos trabalhadores da área de saúde e idosos. Conforme a empresa farmacêutica Pfizer, cerca de uma semana após a segunda dose, a proteção contra o coronavírus demonstra-se eficaz.

Números

Na Holanda, pelo menos de 173 mil pessoas foram vacinadas, o que significa que apenas 1% da população holandesa recebeu a primeira dose do imunizante. O país é o penúltimo na lista de população vacinada. Conforme dados do Our World in Data, da União Europeia, somente a Bulgária (0,4%) vacinou menos pessoas que a Holanda.

Malta (4,8%), Dinamarca (3,7%) Irlanda (2,9%) são os Estados-Membros mais vacinados da União Europeia. Em todo o mundo, Israel foi quem vacinou a maior parte de sua população. Quase 47% dos habitantes receberam a dose do imunizante.

Esperança em meio ao caos

Com o início da segunda dose da vacina, a população holandesa respira, agora, um pouco mais esperançosa após tantos confrontos violentos nas últimas noites. O toque de recolher, anunciado pelo primeiro-ministro Rutte na última quarta-feira, 20, gerou revolta em centenas de manifestantes negacionistas que foram às ruas extravasar violência.

No confronto, hospitais, carros, praças, estações e até viaturas tornaram-se alvo de depredações e até incêndios. Além disso, houveram lojas saqueadas por grupos que se uniram e deram início a um verdadeiro caos.

Na Holanda
Carro foi incendiado diante de uma estação ferroviária durante protesto de centenas de pessoas contra medidas restritivas impostas devido à pandemia (Rob Engelaar/ ANP via AFP)

Conforme a polícia local, houve tumultos em pelo menos dez municípios. A primeira noite dos protestos, segunda-feira, dia 25, resultou em mais de 200 prisões registradas. Ainda assim, o confronto se estendeu e as autoridades prenderam mais manifestantes na noite seguinte. A madrugada desta quarta-feira, 27, a polícia alega ter sido mais tranquila, ainda assim, foram 131 detenções.