Influenciadores iniciantes: manauaras apostam em conteúdos para ganhar visibilidade na internet

Priscilla Peixoto — Da Revista Cenarium

MANAUS — Fotografar, postar, compartilhar, interagir, engajar, muitos são os verbos contidos no universo das redes sociais que, por muitas vezes, levam uma pessoa do anonimato aos palcos da fama. Alguns têm a sorte de já começarem grande pela trajetória percorrida antes da fama na internet, mas para a maioria se transformar em um influencer pode ser resultado de planejamento e foco, algum viral ou até mesmo de forma natural por conta de posts sobre determinados assuntos. A CENARIUM conversou com alguns nomes locais para saber um pouco mais sobre como essas pessoas estão, aos poucos, conquistando espaço.

Para a manauara e investigadora da Polícia Civil Norma Drummond, 39, a fama de ‘influencer’ veio naturalmente após usar a internet para motivar pessoas, principalmente mulheres, a ingressarem na corporação. Aos poucos, as postagens compartilhando o dia a dia e informações ligadas à profissão foram obtendo mais alcance e, atualmente, apenas na rede social Instagram, @normadrummond.40, a policial possui 14,6 mil seguidores.

“Não foi nada planejado, foi acontecendo e me surpreendi com a quantidade de mulheres que se inspiram
e passaram a acreditar que também podem ingressar nesse mundo. Acredito que cada vez mais precisamos conquistar nosso espaço e percebo um número crescente de mulheres na polícia, que muito mudou nesses 20 anos”, diz a policial influencer.

Outro fator que ajudou Norma a alcançar aos poucos os seguidores fiéis é ir na contramão daqueles que tentam “vender” uma vida perfeita na internet. “As mulheres que me seguem percebem que sou uma mulher como elas, casadas, com filhos, com problemas e uma vida real como todo mundo. Acredito que as pessoas se identificam”, conta Norma.

Investigadora da Polícia Civil e influencer Norma Drummond, 39 (Reprodução/ Instagram)

Barreiras e planos

Embora tenha engajado nas redes sociais, ela conta que ainda há uma certa resistência pelo fato de ser investigadora. De acordo com norma, é comum ouvir que policiais precisam ficar longe das redes, mas a profissional acredita que humanizar a profissão é necessário.

“Sempre existe crítica por isso. Mas eu acredito que a polícia precisa estar próxima das pessoas, precisamos humanizar os policiais. Não somos super-heróis, somos pessoas comuns que dedicam suas vidas a proteger a vida de outras pessoas. Mas como todas as outras pessoas, somos humanos, com erros e acertos”, destaca.

Norma também atua como instrutora de armamento e tiro, representando o público feminino que ainda é minoria neste segmento. Focada em expandir e alcançar mais pessoas com conteúdos que naturalmente viraram sucessos nas redes, a influencer iniciante revela ter projetos em andamento.

“Tenho muitos bons projetos em andamento voltados para um canal no YouTube, além de uma escola de tiro”, compartilha a influencer, que o ser questionada se já se considera uma pessoa famosa reponde não ter alcançado necessariamente a fama. “Não me considero famosa, me considero conhecida por pessoas que admiram a polícia”, pondera Norma.

Foco e constância

Se para a influencer Norma Drummond foi algo natural e nada planejado, para Fabiano Oliveira, 24, ou conhecido nas redes sociais como Fabian Oliver, cada postagem é cuidadosamente pensada em seu perfil no Instagram, principal plataforma de interação social usada por ele.

Mas para conquistar seguidores e virar referência em determinado nicho, é necessário, antes de tudo, força de vontade e acreditar que vai dar certo. Atualmente com 12,2 mil seguidores, o estudante de Direito e empreendedor, focado em crescer na internet, planeja as cores usadas no feed para chamar mais atenção do público.

Com um perfil alegre e que transmite a mensagem de boas energias, Fabian conta que se inspira na natureza e conteúdos positivos. A conta do jovem influencer, inclusive, já dá retorno financeiro e possibilitou oportunidades para Fabian.

Fabiano Oliveira, 24, ou conhecido nas redes sociais como Fabian Oliver (Reprodução/ Istagram)

“Bom eu tento de alguma forma influenciar meus seguidores em coisas boas, uma delas que ouço sempre até hoje foi que ajudei bastante na aceitação de seus cabelos. Quando eu estava passando pela minha autoaceitação que meus cabelos de fato eram enrolados, isso ajudou bastante na minha autoestima, hoje com toda certeza sou muito mais eu. Tenho um retorno financeiro, inclusive já participei de algumas campanhas de marcas nacionais”, conta Fabian.

A meta para o empreendedor e influencer em início de carreira é focar na trajetória e não desistir. Assim como Norma, quando questionado se já se considera famoso, ele responde: “Claro que eu almejo um dia ter um reconhecimento maior, entretanto acho que seria muita arrogância da minha parte me achar famoso, eu sou bem pé no chão em relação a isso”, destaca.

Dados do segmento

Durante a pandemia, por conta do isolamento social, o segmento dos influenciadores digitais sofreu um ‘boom‘, trazendo perfis para todos os gostos e conteúdos. De acordo com um estudo realizado em 2020, pela plataforma que promove soluções para a otimização de performance corporativa em redes sociais, Socialbakers, revelou que as organizações empresariais voltaram investir em mega e macroinfluenciadores.

O levantamento apontou que a procura de anunciantes por influenciadores com mais de 100 mil seguidores aumentou em 24,3%. De acordo com a pesquisa, para os influenciadores digitais com um público de 1 milhão de pessoas ou mais, a procura dos anunciantes aumentou em 34,9%. 

Ainda segundo o levantamento, no ano de 2020, os microinfluencers com produção de conteúdo mais segmentado despertaram a atenção do mercado e dos usuários durante o segundo semestre, porém encaram queda no final do ano.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

VOLTAR PARA O TOPO