Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
19 de abril de 2021

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC
Acompanhe nossas redes sociais

Com Informações do Site Metrópoles

ITAIPU- O presidente da Comissão de Fiscalização e Controle do Senado, senador José Reguffe (Podemos-DF), afirmou nesta quarta-feira, 24, que vai cobrar oficialmente da Itaipu binacional informações sobre o salário do presidente e dos diretores da empresa, além dos benefícios pagos a eles. A decisão foi motivada após o Metrópoles revelar que a companhia omite tais informações.

“Os dados deveriam ser públicos. A Itaipu tem a obrigação de dizer para o Senado Federal e para a sociedade brasileira quanto cada diretor está recebendo”, afirmou Reguffe.

Caso a empresa se negue a revelar o salário e os benefícios da diretoria, alegando ser uma entidade de direito privado, o presidente da comissão disse que criará uma proposta de fiscalização e controle com o acompanhamento do  Tribunal de Contas de Contas da União (TCU)  desses gastos com pessoal. “Vamos investigar toda a diretoria porque eles devem explicação ao TCU”, antecipou o senador ao Metrópoles.

Gestão

Não é a primeira vez que a Itaipu omite o quanto seus dirigentes ganham individualmente. Em 2017, o dado só veio a público depois que a Comissão de Fiscalização Financeira e Controle (CFFC) da Câmara também pediu explicações oficialmente.

O atual comandante da Itaipu, Joaquim Silva e Luna,  foi escolhido pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), para presidir a Petrobras, em substituição a Roberto Castello Branco, demitido sob acusação de “falta de transparência” em sua gestão e “salário muito alto”.

Em janeiro do ano passado, a Folha de S.Paulo informou que o general Silva e Luna recebia um salário de R$ 70 mil mensais na Itaipu e revelou uma manobra feita na sua gestão que garantiu somente a ele um extra de R$ 221 mil naquele ano. Na Petrobras, o general terá salário mensal de cerca de R$ 226 mil mensais.

Por ser general da reserva, Silva e Luna ainda irá acumular a esse valor sua aposentadoria. O dado sobre os vencimentos dos militares que já não estão mais na ativa também é mantido sob sigilo, mas neste caso pelo Ministério da Defesa.