1 de março de 2021

Com informações do TSF Rádio Notícias

MANAUS – Os serviços de saúde da costa Oeste e Sul dos Estados Unidos estão a um passo de colapsar. No Condado de Los Angeles, na Califórnia, os hospitais estão ficando sem meios para socorrer doentes com Covid-19. Falta oxigênio para administrar e quem chega às urgências com falta de ar, só recebe atendimento em caso de gravidade. Um dos parâmetros é o nível de saturação.  

As ambulâncias têm instruções explícitas para não levar para o hospital quem tem poucas chances de sobreviver. Neste caso, os paramédicos devem socorrer as vítimas e declarar a morte no local. E apesar de os hospitais estarem sobrecarregados, muitos pacientes não podem receber alta porque não há garrafas de oxigênio portáteis suficientes para levarem para casa.

Nos hospitais da Califórnia faltam ainda ventiladores e camas nas unidades de cuidados intensivos, assim como espaço nos necrotérios. As consequências das festas de Natal e Ano-Novo estão se fazendo sentir agora e os Estados Unidos atravessam a pior fase da pandemia até o momento, escreve o jornal The Washington Post.

Aumento de casos

Os números de novas mortes e contágios diários cresceram 20% na última semana. Na terça-feira, foram registadas mais 250.173 infecções e 3.936 mortes em 24 horas. Há 131.000 pessoas hospitalizadas devido à Covid-19 no país, um número recorde desde o início da pandemia.

O processo de vacinação também é considerado lento diante do que se esperava: a administração Trump garantiu que até o final de 2020 pelo menos 20 milhões de norte-americanos receberiam a primeira dose da vacina, mas até ao momento apenas 4,6 milhões foram vacinados.