Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
24 de outubro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Bruno Pacheco – Da Revista Cenarium

MANAUS – Por 14 votos a favor e 7 contrários, os deputados estaduais da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE/AM) decidiram nesta terça-feira, 7, por suspender o recesso parlamentar e manter os trabalhos legislativos até o dia 11 de dezembro deste ano.

Naturalmente, o recesso estava previsto para acontecer neste mês de julho e duraria o período de 15 dias, mas foi suspenso a pedido dos deputados João Luiz (Republicanos) – autor do requerimento; Joana Darc – líder do governo; e Berlamino Lins (PP), que votaram a favor da continuidade dos trabalhos.

Completaram a lista dos que votaram a favor, os parlamentares Dermilson Chagas (Podemos), Ricardo Nicolau (PSD), Álvaro Campêlo (Progressistas), Delegado Péricles (PSL), Cabo Maciel (PL), Wilker Barreto (Podemos), Fausto Júnior (PRTB), Sinésio Campos (PT), Terezinha Ruiz (PSDB), Serafim Corrêa (PSB), Felipe Souza (Patriotras).

Votaram pelo período de férias os deputados Augusto Ferraz (DEM), Saullo Vianna (PRB), Carlinhos Bessa (PV), Alessandra Campêlo (MDB), Abdala Fraxe (Podemos), Roberto Cidade (PV) e Adjuto Afonso (PDT).

Justificativas

Como justificativa, os deputados contra o recesso parlamentar afirmaram que os assuntos que estão em pautas na Casa Legislativa são os principais motivos para que não haja o recesso que, segundo eles, já foram prejudicados devido a pandemia do novo Coronavírus, doença que causa a Covid-19.

Na avaliação de João Luiz, a decisão do plenário atende aos anseios da população amazonense que requer, neste momento, uma atuação mais eficaz e célere por parte do parlamento estadual.

“O recesso no meio do ano seria imprudente, uma vez que o momento exige um esforço concentrado em prol do Estado do Amazonas e, principalmente, da população amazonense”, justificou o parlamentar.