Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
18 de janeiro de 2022
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE

Com informações do Infoglobo

MANAUS – A procura de brasileiros por um visto de residência em Portugal segue intensa em 2021 e lidera as concessões do País para imigrantes de todas as nacionalidades. Até 10 de setembro, o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) concedeu 23.375 autorizações de residência para brasileiros. Este número representa 34,26% dos 68.268 vistos emitidos no período para estrangeiros em Portugal.

Para alcançar o número total de vistos emitidos para os brasileiros, o SEF, em teoria, concedeu cerca de 2,9 mil novas autorizações mensais ao longo de pouco mais de oito meses. Ou cerca de 240 por dia de janeiro ao início de setembro.

No entanto, o número total é inferior ao do mesmo período de 2020, quando 31.131 vistos foram atribuídos aos brasileiros até 10 de setembro. Ao todo, no ano da explosão da pandemia de Covid-19, foram concedidas 42 mil autorizações, seis mil a menos que as 48 mil de 2019. Mas as renovações aumentaram 55%.

A quantidade deste ano poderia ser maior. Desde agosto, o SEF começou a regularizar milhares de imigrantes que vivem no País, trabalham, pagam impostos e estão na fila de espera do visto de residência há pelo menos quatro anos. 

O órgão do governo diz que convocou por ordem cronológica mais de dois mil brasileiros à espera. E informou que “apenas 200 mostraram interesse”. 

Alguns podem ter perdido a senha de acesso à página do SEF ou até mesmo descartado o endereço de e-mail registrado no órgão. Em casos assim, uma mensagem deve ser enviada para [email protected] .

Todos deram entrada no SEF com a manifestação de interesse, documento que comprova relação de trabalho e é o primeiro degrau para o visto de residência.

Outro lado

O Portugal Giro tem publicado sobre o tema. Este texto conta quais são os percalços dos brasileiros sem visto de residência. E a mobilização para pressionar o governo por uma solução.

Um movimento comum de imigração em Portugal é via turismo. Um brasileiro pode permanecer como turista por 90 dias, prorrogáveis. Na estadia, muitos conseguem manifestação de interesse e começam a saga para obter residência em um sistema pressionado pela falta de vagas até o fim deste ano.

Uma saída para oficializar a busca de trabalho seria a criação do visto temporário para procura de emprego. A proposta do governo, no entanto, não saiu do papel até agora.

Em entrevista a jornalistas brasileiros na 5ª Conferência Global de Enoturismo da Organização Mundial de Turismo, em Monsaraz, no Alentejo, o ministro da Economia e Transição Digital, Pedro Siza Vieira, não estabeleceu uma data certa para esta modalidade de visto estrear.

“Vamos tomar medidas unilaterais (fora do âmbito da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, que tem acordo próprio de mobilidade à espera de ratificação) no sentido do reconhecimento da possibilidade de este visto ser feito. Espero que até o final do ano tenha novidades”, disse Siza.