26 de novembro de 2020

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC

Com informações do Isto É

SÃO PAULO – A Justiça do Estado de São Paulo negou o pedido de Xuxa Meneghel para retirar da programação o Alerta Nacional, da RedeTV!, apresentado por Sikêra Jr. A decisão foi divulgada na última quarta-feira, 18, conforme apuração do Notícias da TV.

De acordo com a decisão o juiz César Peixoto considerou que o pedido não possuía justificativas necessárias para tirar a atração do ar. Além disso, o magistrado alegou que o pedido de Xuxa está acima dos limites da liberdade de expressão, o que poderia caracterizar censura.

“Processe-se o recurso, sem efeito suspensivo, diante da ausência de plausibilidade dos argumentos articulados, sobretudo porque eventual exagero do conteúdo das informações/reportagens dependeu de avaliação futura e mais aprofundada, sem embargo da possibilidade, em tese, da retirada do programa do ar, sob pena de censura prévia”, diz um trecho da decisão.

O juiz relator também vetou o pedido da apresentadora para que o caso passe a correr em segredo de Justiça. “Indefiro o segredo de Justiça, porque a hipótese seguiu a regra da publicidade ampla inexistindo qualquer tipo de constrangimento à exposição”.

Como a decisão ocorreu em primeira instância, Xuxa já apresentou recurso da decisão na última quinta-feira, 19. A rainha dos baixinhos também fez um desabafo nas suas redes sociais sobre as críticas sofridas nas últimas semanas por conta do episódio com o apresentador.

“Nesses dias eu tenho recebido muitas críticas, muitas delas infundadas, criadas porque eu não concordo com as atitudes de alguns políticos, porque eu não concordo com as pessoas destilando o ódio em nome de Deus e da família, e da família, críticas por estar me protegendo de ataques. Mas aí vejo essa imagem do Henrique e meu coração se enche de gratidão”.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.