Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
17 de abril de 2021

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC
Acompanhe nossas redes sociais

Michelle Portela – Da Revista Cenarium

MANAUS – A reabertura de segmentos do setor turístico poderá ser uma das garantias de desenvolvimento econômico para a região no período pós-pandemia. Medidas nesse sentido envolvem os Estados que compõem a chamada Amazônia Legal para criar rotas integradas interestaduais, a exemplo de Presidente Figueiredo, a 107 quilômetros de Manaus, e a Rota 174, que sai do Amazonas para levar o turista até o Monte Roraima, na fronteira com a Venezuela.

A elaboração da Carta Turismo na Amazônia – Roteiros Amazônicos Integrados pelos Secretários de Turismo da região Norte está em desenvolvimento por meio de encontros virtuais realizados pelos secretários de Turismo dos Estados. Participam da iniciativa, integrantes da Amazônia Legal: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins. Entre eles, uma unanimidade: o alto potencial para o turismo de pesca, natureza e esportiva.

Nesse contexto, a prioridade será a pesca esportiva, por integrar ainda o turismo de natureza, turismo rural, etnoturismo, turismo de experiência e turismo de aventura, com um grande impacto na economia local.
Para o presidente da Agência do Desenvolvimento do Turismo, Cultura e Economia Criativa (Adetuc), Jairo Mariano, somente a união entre os Estados pode fortalecer o turismo em toda a região amazônica.

Estratégias

“Turismo é um setor estratégico para as cadeias produtivas dentro dos Estados da nossa região. Com esse diálogo entre os Estados do Norte, temos em mãos um momento para estruturar as nossas ferramentas de atuação frente ao turismo e mostrar a sua importância para o desenvolvimento das nossas cidades, da região e de todo o País”, disse.

De acordo com dados apresentados na reunião, a Amazônia Brasileira recebeu turistas dos Estados Unidos e da Europa, que preferem se hospedar em “jungle lodges” e hotéis de floresta. Outros tantos buscam o destino para o turismo de aventura como o Monte Roraima (Roraima), Presidente Figueiredo e Rota 174 (Amazonas), entre outros.

A “cidade das Cachoeiras”, como Presidente Figueiredo é conhecida no Amazonas, é uma das rotas favoritas entre os debates, afinal, é caminho para ligar a capital Manaus a Boa Vista, em Roraima, de onde se parte com destino ao Monte Roraima.

Atualmente, a cidade permanece funcionando sob o decreto de situação de emergência da Prefeitura de Presidente Figueiredo, com toque de recolher entre 22h e 5h. Porém, apesar das medidas restritivas, a prefeitura permitiu a abertura do comércio das 9h até 21h, de segunda a domingo.

Entre os principais atrativos turísticos, balneários e cachoeiras privadas podem funcionar até 16h com lotação de 30% da capacidade. Bares e similares funcionam até 21h, 50% de ocupação e medidas de isolamento social. Missas e cultos também podem ocorrer em qualquer dia da semana. Apenas postos de combustíveis, tanto na rodovia quanto na zona rural, podem atuar 24 horas.

Ações

Para divulgar a região, as ações serão tomadas por meio de reuniões entre os gestores para construir uma agenda compartilhada de produção de informações entre os Estados visando a integração de conteúdo promocional para peças publicitárias; e um calendário de eventos híbridos (presencial e virtual) da região para lançar os segmentos prioritários em cada Estado.

Sobre o turismo de pesca esportiva, por exemplo, haverá a criação de um portfólio de produtos turísticos unificado com os principais atrativos de cada Estado, com divulgação em revistas, mapas, redes sociais, sites, feiras, congressos e demais eventos direcionados ao segmento.