Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
22 de novembro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Da Revista Cenarium*

MANAUS – Com o objetivo de apoiar os povos indígenas da Amazônia Legal a enfrentarem o novo Coronavírus, a Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab) e o Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (IPAM) lançaram, recentemente, um aplicativo gratuito, com informações detalhadas dos casos de Covid-19 na região: o ‘Alerta Indígena COVID-19’.

A partir de dados do Ministério da Saúde, o aplicativo mapeia e atualiza periodicamente a situação da pandemia em cidades num raio de 100 quilômetros ao redor de cada terra indígena da região. Essa informação ajuda a reduzir os riscos de contaminação entre as aldeias e as cidades, caso indígenas precisem se deslocar a uma sede de município próxima.

O ‘Alerta Indígena COVID-19’ traz ainda outras funcionalidades, como reunir os dados de casos confirmados e óbitos nos 25 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEIs) da Amazônia Legal, a partir de informações levantadas em boletins informativos e notas de falecimento da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), informações de lideranças e organizações de rede da Coiab, e profissionais de saúde indígena.

O aplicativo também permite que indígenas de referência da Coiab façam o registro de novos casos de Covid-19 entre os povos indígenas nos nove estados da Amazônia Legal.

“O aplicativo será um novo instrumento para o monitoramento que a Coiab vem realizando desde o início da pandemia de Covid-19 no Brasil, em março de 2020. Esse levantamento de informações, além de orientar nossas estratégias e ações de combate a Covid-19, tem revelado também a subnotificação dos órgãos públicos e como o novo vírus nos atinge de forma diferenciada e grave”, explica Mário Nicácio Wapichana, vice-coordenador da Coiab.

Grupo de risco

Os povos indígenas são especialmente vulneráveis ao novo coronavírus, apresentando uma taxa de incidência 249% maior do que a média nacional e de mortalidade 224% mais alta, em análise feita com casos registrados até 28 de agosto. Sistemas deficientes de cuidados específicos a essa população, um baixo grau de imunidade indígena a patógenos exógenos ao seu ambiente, e a invasão de terras indígenas por atores que podem levar o vírus para dentro dos territórios e comunidades são alguns motivos por trás de números tão alarmantes.

“Além do uso pelos próprios indígenas, o aplicativo permite a identificação rápida das áreas críticas, para que ações mais eficientes e pontuais contra o avanço da Covid-19 sejam tomadas por lideranças e organizações”, afirma a pesquisadora do Ipam, Martha Fellows, que coordenou o desenvolvimento do aplicativo.

O app ‘Alerta Indígena COVID-19’ pode ser baixado gratuitamente clicando Aqui (versão Android).

(*) Com informações da assessoria