Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
21 de novembro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Danilo Alves – Da Cenarium

BELÉM (PA) – Se depender das ‘curandeiras’ do Complexo Ver-o-Peso, em Belém do Pará, quem acredita que a sexta-feira, 13, é um dia de azar, já pode ficar mais sossegado. As ervas da Amazônia, além de auxiliar no tratamento de doenças de qualquer tipo, também servem para prevenir e combater maus presságios, energias negativas e até a inveja alheia. A garantida é da dona Beth Cheirosinha, de 70 anos. Ela vende os produtos naturais há 50 anos no local e sabe quais folhas e plantas que mais auxiliam quando o assunto é espantar o famoso mau-olhado.

“Existe uma essência especial com 21 ervas que a pessoa joga na casa para proteger de aborrecimentos e agouros. Para o uso pessoal, eu recomendo o banho de sete ervas. Cabia, pó-de-alho, arruda, alecrim, comigo-ninguém-pode, casca de jatobá e espada-de-São-Jorge. Esse é o produto mais procurado todos os anos para espantar o mau-olhado e más vibrações”, explicou.

Dona Beth Cheirosinha é famosa por ‘receitar’ banhos e garrafadas especiais com ervas da Amazônia (Foto: Danilo Alves)

Já dona Socorro Santos, 49, é outra vendedora de ervas que deu a dica de como confeccionar o Patuá, uma espécie de amuleto para atrair boas energias. “Faça um saquinho com tecido vermelho. Guarde dentro dele uma miniatura de girassol, pode ser um desenho e uma foto sua. Costure o saquinho, fechando-o, e depois pingue três gotas de perfume de jasmim nele. Mantenha o patuá com você pelo tempo que achar necessário”, explicou.

Estes tipos de banhos atraem os olhos dos clientes, que vão ao complexo à procura dos produtos. Rosa Santos, 45, paraense do bairro da Cremação, vem todos os meses comprar o banho de descarrego. Ela acredita na cura através das ervas da Amazônia. “São produtos que auxiliam a vencer na vida. Se a pessoa passar no corpo, mentalizar boas energias e acreditar, a proteção acontece. Eu acredito”, revelou.

Dona Beth ensina como se livrar da “urucubaca” causada pelas energias negativas (Vídeo: Danilo Alves).

Nas bancas de ervas, assim como nas demais dependências do Mercado do Ver-o-Peso, muitos turistas procuram por produtos que não encontram nas suas cidades de origem. O turista André Barbosa, de 26 anos, residente em São Paulo, destaca a importância das crenças populares, comuns na sexta-feira, 13, e observa que isso é perceptível no povo de Belém.

“É interessante observar as crenças e a fé das pessoas daqui. Tudo aqui é incrível. A receptividade do lugar, a cultura e o folclore. Em São Paulo, esses produtos são muito difíceis de ser encontrados. Vim conhecer o famoso Ver-o-Peso e estou aproveitando para levar um ‘Chama Dinheiro’ e um ‘Vence Tudo’, pois, infelizmente, ainda existe muito olho gordo, muita inveja das pessoas”, considera o turista.