Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
19 de outubro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Bruno Pacheco – Da Revista Cenarium

MANAUS – Sete das nove capitais que compõem a Amazônia Legal realizam, neste domingo, 29, o segundo turno das eleições municipais 2020. De acordo com um levantamento realizado pela REVISTA CENARIUM, apenas Socorro Neri (PSB) e Edmilson Rodrigues (PSOL) não são de partidos que compõem a base governista de Bolsonaro. Confira a lista completa:

Amazonas

Em Manaus, há dois candidatos com pensamentos divergentes ao se confrontarem diretamente com ofensas ao longo das eleições: David Almeida (Avante), de 51 anos, e Amazonino Mendes (Podemos), de 81 anos.

O primeiro passou por partidos de origem socialista e hoje integra o Avante, sigla partidária alinhada com o presidente Jair Bolsonaro (Sem partido), que segue a tendência da extrema direita. Almeida chegou a afirmar que não faria alianças com partidos de esquerda.

David Almeida e Amazonino Mendes (Reprodução)

Já Amazonino Mendes (Podemos) avançou para o segundo turno recebendo a maior quantidade de votos e desponta na legenda partidária da base aliada de Bolsonaro. O partido alega não ser de esquerda, nem de direita, pois é a “favor de ir para frente”, no entanto, o Podemos foi um dos partidos que mais aderiram aos projetos do governo de Jair Bolsonaro na Câmara dos Deputados em 2019, conforme apontou o Congresso em Foco.

Acre

Os candidatos que disputam a Prefeitura de Rio Branco são a atual prefeita Socorro Neri (PSB), de 54 anos, e Tião Bocalom (PP), de 67 anos. Os dois têm formação em áreas educacionais. A candidata é graduada em pedagogia e tem doutorado em educação, já o postulante ao Executivo Municipal é formado em matemática e em Ciências Físicas e Biológicas.

Socorro Neri e Tião Bocalom (Reprodução/Internet)

Socorro segue a ideologia socialista democrática do partido, ao contrário de Tião, que já foi filiado ao PSL, ex-partido de Bolsonaro em 2018 quando concorreu ao cargo de deputado federal. Mesmo sendo o quinto mais votado no Acre, com 21.872 votos válidos, por falta de coeficiente eleitoral, Bocalom não foi eleito.

Mato Grosso

Em Cuiabá, ambos os candidatos de direita disputando a prefeitura: o vereador Abílio (Podemos) e o atual prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), que tenta a reeleição.

Abílio e Emanuel Pinheiro (Reprodução)

O mdbista chegou a receber apoio deputada federal Gleisi Hoffman do Partido dos Trabalhadores (PT) e chegou a negar, alegando ser da base do governo federal e que defende a pauta bolsonarista.

Pará

Em Belém, os candidatos à Prefeitura do Pará, Edmilson Rodrigues (PSOL) e delegado federal Everaldo Eguchi (Patriota) protagonizam uma luta entre polaridades políticas. De oposição e ideologia extrema, os postulantes têm apoio de peso no cenário político e cultural.

Edmilson Rodrigues e delegado federal Everaldo Eguchi (Reprodução)

Eguchi se apoia no presidente Jair Bolsonaro e Rodrigues, que já foi filiado ao Partido dos Trabalhadores (PT) enquanto exerceu o cargo de prefeito durante dois mandatos (1997 a 2004), tem como apoiadores nacionais e regionais, artistas como Chico Buarque, Caetano Veloso e deputado federal Marcelo Freixo (PSOL), além das cantoras Fafá de Belém e Gaby Amarantos.

Roraima

Em Roraima, a capital Boa Vista tem como candidatos Arthur Henrique (MDB) e Ottaci (Solidariedade). O primeiro segue tendência do partido, mais centralizado e o segundo, segue ideologia de centro-esquerda.

Arthur Henrique e Ottaci (Reprodução)

O então vice-prefeito de Boa Vista, Arthur Henrique, tem 39 anos e desta vez, concorre nas eleições 2020 para prefeitura da capital roraimense. Já Otaci do Nascimento, é natural de Eirunepé, interior do Amazonas e também deputado estadual de primeiro mandato.

Maranhão

No Maranhão, a Prefeitura de São Luís é disputada pelos candidatos Eduardo Braide (Podemos) e Duarte Júnior (Republicanos), ambos com ideologias diferentes.

O deputado federal de primeiro mandato, Eduardo Braide, de 44 anos, é advogado e já foi deputado estadual por dois mandatos. Já o deputado estadual também de primeiro mandato, Duarte Júnior, 33, é advogado e professor universitário.

Rondônia

Em Rondônia, a prefeitura de Porto Velho é disputada neste segundo turno pelos candidatos Hildon Chaves (PSDB) e Cristiane Lopes (PP), ambos com ideologias voltadas para a direita.

Cristiane Lopes e Hildon Chaves (Reprodução)

O atual prefeito da capital, Hildon Chaves é formado no curso de direito e já foi promotor do Ministério Público de Rondônia (MP-RO), deixando a carreira para dedicar às empresas do ramo educacional da família. Já Cristiane Lopes é jornalista há 15 anos e atualmente também é vereadora, sendo eleita em 2016. Aos 37 anos, concorre pela primeira vez para prefeitura.