Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
20 de novembro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Carolina Givoni – Da Revista Cenarium

MANAUS – Enquanto a população segue em meio às incertezas por conta da pandemia de Covid-19, que tirou das ruas trabalhadores formais e informais, o que impactou diretamente na renda das famílias e na economia do Estado, os vereadores da Câmara Municipal de Manaus (CMM) esbanjam gastos que, somente em abril, alcançaram a casa dos R$ 200 mil com combustíveis, aluguel de veículos e barcos.

Encabeçando a lista de “gastões”, está Márisson Roger (PP) que, no início de 2019, assumiu a vaga de titular do mandato, após cassação do ex-vereador Ronaldo Tabosa. O atual titular gastou R$ 9 mil com locação de veículos na empresa “MI dos S Rodrigues Transportes EPP” e R$ 7 mil em combustíveis. Com as aquisições, o parlamentar conseguiu “torrar” de casa, R$ 16 mil disponível da CEAP.

Gastos de Márisson Roger, extraído do portal da transparência da CMM – (Foto: Reprodução)

Também empenhando em “home office” a verba parlamentar para locação de veículos e gasolina, está Jaildo dos Rodoviários (PCdoB) com R$ 12.472 gastos e Sassá da Construção Civil (PT) que gastou R$ 14 mil na quarentena. Assim como ele, Rosilvado Cordovil (PSDB) também direcionou R$ 11.500 para o mesmo fim.

Gastos de Sassá da Construção extraído do portal da transparência da CMM – (Foto: Reprodução)

O bom senso dos outros 17 vereadores que não gastaram sua Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar (CEAP) não foi seguido pelos demais colegas de Poder, que gastaram a verba total de R$ 199.012,70 apenas no mês de abril, com finalidade de transporte, mesmo trabalhando em home office.

Gastos de Jaildo dos Rodoviários, extraído do portal da transparência da CMM – (Foto: Reprodução)

Movimentação na quarentena

A longa lista segue com os vereadores Alonso Oliveira (Avante) gastando cerca de R$ 11.500, Roberto Sabino (Podemos) R$ 10.500 e Ewerton Wanderley (DEM) R$ 10.450. Assim como eles, Amauri Colares (Republicanos), Reizo Castelo Branco (PTB), Everton Assis (PSL), Diego Afonso (PSL) investiram R$ 9 mil para locação de transportes no período de pandemia.

Robson Teixeira, mais conhecido como Raulzinho (PSDB), “investiu” R$8.920 se locomover pela cidade. Com um valor muito próximo, Gloria Carrate (PR), vereadora e mãe da empresária que “furou” a quarentena, reabrindo o salão de beleza por meio de decreto, aderiu ao movimento na CMM com R$8.500 de gasto.

Davi Reis (Avante) talvez tenha ousado mais ao gastar a CEAP do que os demais parlamentares. Isso porque, no detalhamento dos gastos dele, o abastecimento no mesmo posto de combustível foi registrado três vezes, no período dos dias 15 e 17 de abril. No total, Reis gastou R$ 8.555,05.

Gastos da CEAP divulgado extraído do portal da transparência da CMM – (Foto: Reprodução)

Os dados foram extraídos do portal da transparência da CMM com os valores referentes ao mês de abril, enquanto todos os poderes já trabalhavam virtualmente.

O levantamento da REVISTA CENARIUM levou em consideração apenas gastos com combustíveis e locação de transportes, desconsiderando os demais valores como gastos com divulgação da atividade parlamentar.

Confira a lista completa:

Levantamento feito pela Revista Cenarium mostra ranking dos “gastões” durante a quarentena. – (REVISTA CENARIUM)

Respostas

A REVISTA CENARIUM procurou os parlamentares e o presidente da CMM, Joelson Silva (Patriota), que não movimentou gastos em abril, para comentar a publicação.

Joelson diz que “embora a Câmara não esteja trabalhando de forma presencial, os vereadores, que são legítimos representantes do povo, continuam exercendo a atividade parlamentar no período da quarentena. Muitos deles, para atender seus eleitores, precisam se deslocar até hospitais, farmácias, até as casas das pessoas a fim de prestar socorro ou resolver questões ligadas a atividade parlamentar”.

Ainda segundo ele, os 17 parlamentares que não utilizaram a CEAP no mês de abril representam uma redução de R$ 306 mil em gastos. Apesar do que foi mostrado, o presidente alega que a maioria não gastou com abastecimento de veículos.

Sassá da Construção comentou que tem acompanhado o andamento de obras de infraestrutura nos bairros e comunidades de Manaus, mesmo no período da pandemia. E que “para realizar esses trabalhos semanais, o vereador dispõe de uma estrutura como o aluguel de veículos e gastos com combustíveis. Além disso, os gastos na divulgação e publicidade de suas ações, são custeados também pela Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar.

Chico Preto (DC) disse que “há um contrato por tempo certo, e a sua quebra impõe responsabilidades civis. Noutra mão, não houve gasto algum com combustíveis em abril”. Questionado sobre o valor de locação em abril seria a respeito de um contrato anual, o parlamentar afirmou que “Se não me engano o período máximo para um contrato são 6 meses”.

A vereadora Mirtes Sales (Republicanos) enviou à reportagem a justificativa de seus gastos. “A regra é, fique em casa, se não precisar trabalhar. Eu precisei sair várias vezes para continuar os trabalhos, pois não estamos de férias e a população tem suas demandas emergenciais que precisam ser atendidas. Continuamos trabalhando normalmente, mantendo as regras de segurança”, disse ela, que está a frente da Comissão de Defesa e Proteção dos Direitos da Mulher.

A reportagem tentou ainda contato com os parlamentares Diego Afonso, Elias Emanuel, Gedeão Amorim, Glória Carrate, Amauri Colares, Everton Assis, Ewertton Wanderley, Roberto Sabino, Rosivaldo Cordovil, Jailson dos Rodoviários, Professor Fransuá, mas aguarda retorno.

A reportagem não conseguiu contato com as assessorias parlamentares de Isaac Tayah, Márisson Roger, Alonso Oliveira, Reizo Castelo Branco, Raulzinho, Davi Reis, Antônio Carlo de Lima, Gilmar Nascimento e Mauro Teixeira.