Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
15 de maio de 2021

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC
Acompanhe nossas redes sociais

Com informações G1

RIO DE JANEIRO – Uma das ex-companheiras de Dr. Jairinho, a dentista Ana Carolina Netto, afirmou em depoimento à Polícia Civil nessa sexta-feira, 9, que foi agredida dias após o casamento, enquanto arrumava as malas para a lua de mel. Ana disse ainda que o ex-marido mentiu ao postar uma foto do próprio filho abraçado a Henry, no que seria uma tentativa de autodefesa.

O RJ1 teve acesso ao depoimento da dentista. A informação da agressão quando Ana era recém-casada foi dada pelo jornal “O Globo” e confirmada pela TV Globo.

Flagra

Ana Carolina teve dois filhos com Dr. Jairinho. O casamento foi em dezembro de 2013, quando os dois estavam juntos já havia 15 anos. De acordo com o depoimento, quando preparavam as malas para a viagem de lua de mel, houve a primeira agressão.

A dentista contou aos policiais que o político a atacou depois de flagrá-lo conversando com outra mulher pelo telefone.

Diante do flagra, Ana disse que não queria mais viajar. Os dois discutiram e ele a agrediu com chutes na canela. Na época, a dentista procurou a polícia e registrou um boletim de ocorrência. Um exame de corpo de delito atestou as lesões. Ana disse à polícia que decidiu retirar a queixa quando os dois retomaram o relacionamento, seis meses depois.

Foto mentirosa

Ana Carolina disse também que foi surpreendida esta semana, numa rede social, com uma foto de um dos filhos dela com Jairinho abraçado com Henry. A legenda falava de uma viagem juntos, e que ali começou uma amizade entre as crianças.

A dentista se disse perplexa, indignada e revoltada com o uso da imagem sem autorização — e com um texto mentiroso, segundo ela. O episódio da foto foi a única vez em que o filho e o enteado de Jairinho se viram.

Ana contou aos policiais que procurou a família do vereador e pediu que a foto fosse excluída. A postagem desapareceu horas depois.

Coação

Até ser preso, segundo as investigações, Jairinho tentou desmerecer e constranger testemunhas do inquérito que investiga a morte do menino Henry.

Uma das ex-namoradas prestou depoimento afirmando que a filha já foi agredida pelo vereador. Depois disso, teve fotos íntimas divulgadas pela defesa de Jairinho. Em uma delas, ela aparece nua, com a legenda: “Sou de Bangu, o vereador Jairinho que botou peito em mim”.

Fazendo referência ao fato de, no mesmo depoimento, a mulher ter afirmado que foi o então namorado que pagou a aplicação de silicone. A defesa de Jarinho compartilhou vídeos em que funcionários do vereador tentavam desqualificar a mulher.

A defesa do casal fez um pedido de habeas corpus à Justiça. Disse que Jairinho e Monique estão sofrendo constrangimento. E que a prisão é desnecessária.

Descumprimento

O RJ1 apurou que nessa sexta-feira, na hora do almoço, Jairinho estava circulando normalmente entre outros presos. A Secretaria de Administração Penitenciária negou.

Inicialmente, ele deveria ficar isolado por 14 dias, por causa do protocolo de segurança da Covid-19. Jairinho passou mal e foi atendido numa UPA que fica dentro do complexo de Bangu.