Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
26 de janeiro de 2022
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE

Com informações do jornal O Globo

BRASÍLIA – Andréa Barbosa, ex-mulher do general da ativa Eduardo Pazuello, procurou a CPI da Pandemia se oferecendo para depor. Andréa enviou um e-mail elencando os pontos que poderia abordar num depoimento sobre atos que têm o ex-ministro da Saúde como protagonista. As informações são do colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo.

Segundo o colunista, é provável que a decisão final sobre ouvi-la ocorra depois de uma conversa pessoal entre o senador Omar Aziz e Andréa, que mora em Manaus. 

Às 9h58 deste domingo, 27, horário de Brasília, o senador Omar Aziz entrou em contato com a coluna para esclarecer que, se houver mesmo uma conversa prévia com Andréa, será feita junto com outros senadores.

Andréa é crítica a Bolsonaro e vem fazendo, desde 2018 vários posts, nas redes sociais, que agora estão privadas, contra o governo e em especial ao presidente. Segundo a REVISTA FÓRUM, Andréa chega a chamar o presidente de “Bozo” e se define como uma mulher “contra o fascismo”.

Pazuello é secretário de Estudos Estratégicos da Secretaria Especial de Assuntos Estratégicos, vinculada à Presidência da República. Entre e maio de 2020 e março de 2021, o general ocupou a vaga de ministro da Saúde e atuou no combate à pandemia da Covid-19. O militar é investigado pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia.

No mês de maio deste ano, Pazuello prestou depoimento à CPI, que investiga ações e omissões do governo Bolsonaro no combate à pandemia do novo coronavírus. As falas do general dividiram opiniões entre os deputados da Câmara.

Em dois dias de depoimento, Pazuello evitou atribuir responsabilidade ao presidente Jair Bolsonaro e disse que não é responsável pela crise de falta de oxigênio em Manaus. O ex-ministro falou ainda sobre o processo de aquisição de vacinas e a atuação da pasta sobre o tratamento precoce.