Governador do AM quer que novos investimentos em petróleo e gás sejam mais eficientes no Estado

Da Revista Cenarium*

MANAUS – Após o anúncio da venda de concessões da Petrobras de campos terrestres na Bacia de Solimões, no Amazonas, o governador Wilson Lima defendeu, nesse sábado, 27, que a preocupação no momento é de que não haja descontinuidade da exploração de petróleo e gás e que novos investimentos sejam mais eficientes no Estado.

“A preocupação que nós temos é a de que não haja descontinuidade da exploração. Estamos pleiteando junto ao Ministério das Minas e Energia o compromisso de que a Petrobras mantenha os investimentos e a produção durante processo de transição para o novo investidor que vai assumir as operações no campo de Urucu”, afirmou Wilson Lima.

Na última sexta-feira, 26, a empresa petrolífera informou que a venda destes ativos está alinhada à estratégia de otimização do portfólio e à melhoria de alocação do capital da companhia, passando a concentrar cada vez mais os seus recursos em águas profundas e ultra profundas, onde a Petrobras tem demonstrado grande diferencial competitivo ao longo dos anos.

Nesse sentido, o governador explicou que a expectativa é que novos investimentos devem tornar a exploração e produção de petróleo e gás no Amazonas mais eficiente.

A bacia petrolífera de Urucu, na avaliação do Governo do Estado, tem potencial para atrair grandes investidores com atuação e interesse no mercado ‘onshore’ de petróleo, que poderão ampliar investimentos de longo prazo no Amazonas.

Um exemplo positivo da entrada de novos atores no setor de óleo e gás, foi a venda em 2019 do campo de Azulão, na Bacia do Amazonas, que tem resultado em investimentos para viabilizar a produção de gás e geração de energia com o consequente aquecimento da economia local. 

(*) Com informações da assessoria

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

VOLTAR PARA O TOPO