25 de fevereiro de 2021

Com informações do IstoÉ

NOVA DELHI – Pelo menos cinco pessoas morreram em um incêndio na sede do Instituto Serum, maior produtor de vacinas do mundo e fabricante do imunizante anti-Covid da Universidade de Oxford e da AstraZeneca na Índia.   

As chamas atingiram uma unidade de produção de vacinas contra o rotavírus no quartel-general da indústria farmacêutica, situado em Pune, no estado de Maharashtra. “Foram encontrados cinco corpos completamente carbonizados”, disse o delegado Amitabh Gupta ao jornal Times of India.   

Em seu perfil no Twitter, o primeiro-ministro Narendra Modi se disse “angustiado” com a perda de vidas no Instituto Serum e afirmou que seus “pensamentos estão com as famílias daqueles que perderam suas vidas”.   

O gerente da fábrica, Vivek Pradhan, contou à imprensa local que o fogo teria começado em um laboratório de rotavírus no terceiro andar do prédio, onde também havia um estoque de vacinas BCG.   

“Estavam em andamento alguns trabalhos em instalações elétricas e encanamentos”, afirmou.   

De acordo com o CEO do Instituto Serum, Adar Poonawalla, o incêndio não afetou a manufatura de vacinas contra a Covid-19.   

“Gostaria de assegurar a todos os governos e ao público que não haverá perda da produção da Covishield [nome comercial da vacina de Oxford]”, escreveu o executivo no Twitter.   

O Brasil é um dos países que assinaram acordos com o Instituto Serum, mas ainda não há prazo para a entrega das 2 milhões de doses da Covishield. A empresa produz cerca de 1,5 bilhão de doses de diversas vacinas por ano, que são exportadas para mais de 170 nações. (ANSA).