Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
16 de setembro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml
Victória Sales – Da Cenarium

MANAUS – Na lista de ranking dos municípios mais quentes do Brasil, sete são do Estado do Mato Grosso, segundo a medição do Instituto Nacional de Metereologia (Inmet). Entre o local mais quente, esteve o município de Sapezal (distante 480 quilômetros de Cuiabá), o qual atingiu a marca de 44,8ºC. De acordo com o meteorologista do Instituto, Heráclio Alves, essa é uma condição normal para o período.

Heráclio ressalta ainda que nas áreas centrais do País a massa de ar seco é predominante. “A estação seca está predominante no Brasil por conta do período de vazante, com isso a massa de ar seco predomina na região principalmente, nas áreas centrais do País, o que reduz as chances de chuvas”, explicou.

O meteorologista destaca que no final de setembro as condições climáticas melhoram. “Outubro já inicia o período chuvoso, mas isso não significa que irá mudar muita coisa, pelo contrário, o clima ainda vai continuar elevado mesmo com o período chuvoso, por causa dessa massa de ar que impede que a chuva chegue nessas regiões centrais”, relatou.

Pesquisa

Ainda de acordo com o Inmet, a cidade que ocupa o segundo lugar entre Mato Grosso, é capital do Estado, Cuiabá, que chegou a registrar 41,4ºC. Além disso, o instituto destaca que a cidade ainda bateu outros dois recordes de calor, registrando 40ºC e 40,7ºC nos últimos dias. De acordo com uma pesquisa feita pelo site internacional Hot Cities, a capital aparece mais uma vez como a mais quente do mundo, com 39ºC.

Seca

Tangará da Serra, Alto Taquari e Juscimeira, no Mato Grosso e Novo Horizonte, em Santa Catarina, foram colocadas em situação de emergência pelo governo federal por conta da falta de chuva. Segundo o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) que tem acompanhado as consequências da seca e da estiagem no País, reconhecem a situação de emergência em 14 municípios do Brasil, de acordo com publicação feita no Diário Oficial da União (DOU), nessa segunda-feira, 13.

Representante da Defesa Civil, Alexandre Lucas afirmou que os gestores municipais podem solicitar recurso do MDR para que a população afetada seja atendida. “O que o reconhecimento permite é que o governo federal, com todos os seus órgãos do Sistema Federal de Proteção e Defesa Civil, atue em apoio ao Estado. Essa é a primeira consequência, mudando, inclusive, os seus processos administrativos para acelerar essa ajuda”, relatou.

Os Estados e municípios podem fazer a solicitação após decretarem situação de emergência, e em seguida pedir reconhecimento federal, por meio do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2iD). A Defesa Civil aponta que o representante federado pode solicitar repasses para restabelecimento de serviços essenciais e reconstrução de infraestrutura pública danificada pelo desastre.