Polícia afirma que suspeito foi visto seguindo indigenista e jornalista desaparecidos na Amazônia

Com informações da FolhaPress

BRASÍLIA – A Polícia Militar do Amazonas obteve indicações de que o homem preso na terça-feira, 7, por porte de munição proibida seguiu Bruno Pereira e Dom Phillips pelo Rio Itacoaí, na manhã em que eles desapareceram, no Vale do Javari.

Segundo divulgou a PM, testemunhas que viram a lancha de Pereira e Phillips descer o rio rumo a Atalaia do Norte, no domingo, 5, “avistaram também uma outra lancha de cor verde, com o slogan da ‘Nike’ bem visível, que trafegava no rio, logo após passar a lancha dos desaparecidos”.

A informação foi revelada pelo jornal O Globo e confirmada pela Folha.

O barco foi rastreado até ser identificado com Amarildo, 41, conhecido como ‘Pelado’, e que estava na comunidade de São Gabriel — a mesma onde a dupla desaparecida foi vista pela última vez.

A polícia, por segurança, não divulgou de onde são as pessoas que presenciaram a cena. Uma autoridade ligada, diretamente, à investigação disse à reportagem, reservadamente, que essas testemunhas não são de São Gabriel.

Com o pescador, os policiais encontraram também munições de uso restrito, de rifle 762, e um cartucho calibre 16, além de 16 chumbinhos. A polícia diz, ainda, que apreendeu uma pequena porção que acredita ser cocaína.

Foi por esse motivo que ‘Pelado’ foi preso em flagrante e encaminhado a 50ª Diretoria de Inteligência Policial, onde prestou depoimento.

O delegado da Polícia Civil do caso, Alex Perez, disse que a ligação dele com o desaparecimento de Pereira e Phillips ainda está em apuração.

Pelado é uma das cinco pessoas que, até agora, foram ouvidas nas operações de busca da dupla.

Depoimentos

Segundo o Governo do Amazonas, quatro pessoas foram ouvidas como testemunhas e uma, na condição de suspeito. Pessoas ligadas às investigações dizem que ele é quem foi interrogado como suspeito, mas essa informação não foi confirmada, oficialmente, pela Secretaria de Segurança Pública do Estado.

Dentre as outras pessoas ouvidas estão os também pescadores Jâneo e ‘Churrasco’ — ambos foram liberados na noite da última segunda-feira, 6, após o depoimento.

‘Churrasco’, inclusive, é quem Pereira e Phillips iriam encontrar na manhã de domingo, 5, quando retornavam de uma viagem. Eles chegaram a passar pela comunidade de São Rafael, onde ele vivia, mas não o encontraram.

Então, seguiram viagem no retorno para a cidade de Altamira do Norte, mas, no meio do caminho, desapareceram.

Segundo a União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (Univaja), o último local onde eles foram avistados foi, justamente, passando pela comunidade de São Gabriel, onde ‘Pelado’ foi encontrado.

Segundo Eliésio Marubo, advogado da Univaja, ‘Pelado’ “fez algumas ameaças contra a equipe” da entidade, no último fim de semana. O grupo era acompanhado por Pereira e Phillips.

Dias antes da viagem, Marubo, Pereira e outros membros da Univaja haviam recebido uma carta com ameaças de morte.

Providências

A Secretaria de Segurança diz que “está tomando todas as medidas cabíveis para auxiliar na elucidação do caso, em colaboração ao Ministério Público Federal (MPF), Polícia Federal (PF) e Funai (Fundação Nacional do Índio)”.

O subcomandante da Polícia Militar do Amazonas, coronel Agenor Teixeira Filho, afirmou que duas pessoas chegaram a ser detidas para averiguação, nesta terça-feira, 7, por terem desavenças anteriores com Pereira.

No entanto, elas não foram presas e a secretaria não confirma, oficialmente, se tratarem de suspeitos do desaparecimento.

O subcomandante disse que elas estavam custodiadas pela Polícia Federal, no município de Tabatinga, para serem ouvidas. “Tudo está sendo investigado para que a gente possa ter mais informações e entender o que ocorreu com os dois”, afirmou.

Ainda nesta quarta-feira, a juíza federal Jaiza Maria Pinto Fraxe, da 1ª Vara Cível do Amazonas, determinou que o governo federal atenda, imediatamente, a pedidos de apoio operacional para as buscas dos dois desaparecidos.

“Determino à ré União, que efetive, imediatamente, obrigação de fazer, no sentido de viabilizar o uso de helicópteros, embarcações e equipes de buscas, seja da Polícia Federal, seja das Forças de Segurança ou das Forças Armadas, tendentes a localizar as pessoas Bruno Pereira e Dom Phillips”, assinou Fraxe na decisão.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

VOLTAR PARA O TOPO