Prefeitos de cidades do AM com zero casos de Covid-19 falam como controlam vírus

Bruno Pacheco – Da Revista Cenarium

MANAUS – Quase dois meses após o primeiro caso confirmado do novo Coronavírus no Amazonas, em 13 de março, apenas oito dos 62 municípios do Estado não registram infectados pela pandemia, são eles: Ipixuna, Apuí, Envira, Pauini, Guajará, Uarini, Itamarati e Japurá. A explicação para isso se dá às medidas restritivas adotadas desde o início do contágio do vírus no Estado.

“Tudo que chega à cidade é desinfectado, o dinheiro dos bancos, por exemplo, entra em quarentena por cinco dias, para evitar uma possível contaminação da Covid-19 nas pessoas. Os alimentos e demais produtos também recebem higienização”, disse à REVISTA CENARIUM o prefeito de Envira, Ivon Rates (Pros).

Nesta quinta-feira, 7, conforme boletim epidemiológico da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), o número de infectados passou de dez mil no Amazonas, sendo 5.897 em Manaus (58,39%) e 4.202 no interior do estado (41,61%).

De acordo com o diretor da FVS-AM, Cristiano Fernandes, o motivo pelo qual algumas cidades ainda não possuem registros de Covid-19, é o difícil acesso entre elas.

“O que, de certo modo, dificulta o deslocamento de pessoas para a capital, pois estão suspensas as viagens fluviais. Por se tratar de um novo vírus respiratório, a contenção é muito difícil”, afirmou Fernades.

Somente a distância de Envira à Manaus, epicentro da pandemia no estado, é de mais de 1.2 mil quilômetros. Para o prefeito Ivon Rates, no entanto, todos os prefeitos do Amazonas se esforçaram, ao máximo, para tentar impedir a entrada do vírus nas cidades, contudo, a Covid-19, segundo ele, encontra inúmeros caminhos para atingir a população.

“Estamos tendo a sorte de termos medidas acertadas, ainda que a conduta da população ainda não seja a mais correta. Inicialmente, paralisamos as aulas, estabelecemos um funcionamento dos setores públicos de forma a diminuir as aglomerações, fechamos o aeroporto; o aeroporto de Envira é privado, é da prefeitura, embora registrado na Anac, ele é de propriedade do município. Regularizamos os voos para transportes emergenciais e de produtos essenciais; estamos com barreiras sanitárias nos rios e nos aeroportos há 2 meses. Não chega ninguém sem que a gente faça inspeção”, detalhou.

De acordo com o prefeito Antônio Maia (DEM), de Itamarati, com o início da pandemia, todas as entradas da cidade foram fechadas e fiscalizadas. Maia conta, ainda, que o não contágio do vírus na região se dá pelo fato da pouca quantidade de moradores. Atualmente, o município conta com quase 8 mil habitantes, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

“Como o município é pequeno, formamos uma comissão de 6 a 7 pessoas para, com a parceria da polícia, fazer o trabalho de monitoramento. Chegou um avião, eles estão no aeroporto fazendo triagem; chegou um barco, eles fazem o mesmo e qualquer suspeita eles ficam monitorando, orientando as pessoas a ficarem em casa até 14 dias. Cada dia que passa, estamos fazendo um trabalho mais rígido em cima disso”, disse.

O prefeito informou, ainda, que está em Manaus para realizar compra de remédios e equipamentos de prevenção, para abastecer os postos de saúde de Itamarati.

“Mesmo sem casos, estamos nos preparando para enfrentar o vírus. Salientamos para que as pessoas adotem as medidas de restrição, até porque, nosso município fica no rio Juruá, entre os municípios de Eirunepé e Carauari, que está com um número altíssimo de contaminados, assim como Eirunepé tem casos confirmados e estamos cada vez mais tomando esse cuidado, porque estamos alí ‘entre um e outro'”, finalizou.

Em seis dias, foram registrados mais 1.591 casos da Covid-19 no interior do Amazonas. Conforme reportagem da REVISTA CENARIUM, no último domingo, 3, o número de infectados no interior contabilizava 2.611 casos, representando 39,07% do total do estado, que tinha 6.683 contaminados. Os outros 4.072, eram de Manaus (60,93%).

A reportagem aguarda posicionamentos das demais prefeituras para saber sobre as medidas que têm dado certo nas cidades que não apresentam registros de contaminados pelo novo Coronavírus.

Casos atuais

Além da capital, que já possui 5.897 de infectados, 53 municípios já têm casos confirmados, com 4.202 registros, são eles:

Manacapuru (700); Parintins (324); Tabatinga (292); Santo Antônio do Içá (226); Iranduba (200); Tefé (211); Rio Preto da Eva (188); Coari (182); Itacoatiara (177); Maués (162); Careiro Castanho (155); São Paulo de Olivença (124); Presidente Figueiredo (136); Carauari (118); Autazes (126); Tonantins (73); Amaturá (65); Boca do Acre (73); Anori (56); Benjamin Constant (55); Urucará (48); Silves (34); São Gabriel da Cachoeira (41); Nova Olinda do Norte (31); Tapauá (41); Fonte Boa (27); Maraã (27); Barreirinha (23); Manaquiri (23); Novo Airão (23); Careiro da Várzea (22); Lábrea (22); Beruri (21); Itapiranga (18); Canutama (15) e  Novo Aripuanã (15).

Os municípios de Barcelos e Urucurituba têm 14 casos cada um. Borba tem 13 casos. Boa Vista do Ramos e  Jutaí têm 11 casos cada. Manicoré tem 9 casos. Eirunepé e Caapiranga têm 8 casos cada. Codajás, Santa Isabel do Rio Negro e São Sebastião do Uatumã têm 7 casos cada um. Anamã  tem 6 casos. Humaitá tem 5 casos. Nhamundá tem 4 casos, Alvarães tem 2 casos. Os municípios com apenas um caso confirmado são: Atalaia do Norte e Juruá. 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

VOLTAR PARA O TOPO