Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
19 de novembro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Danilo Alves – Da Revista Cenarium

BELÉM/PA – Após uma semana da morte da menina de 10 anos, Ravyla Souza, que foi sequestrada e teve o corpo abandonado em uma área de mata, no interior do Pará, a Polícia Civil (PC) do Estado conseguiu prender todos os envolvidos no crime. O último suspeito, Identificado como Henderson Pedrosa, foi preso temporariamente, após cumprimento de mandado no município de Viseu (distante 354,3 quilômetros da capital Belém), local onde ocorreu o assassinato, no último dia 21 de junho. A polícia não deu detalhes da prisão, apenas informou que o homem possui participação direta na morte da criança e que ele trabalha como operador de máquinas no município.

Hemerson foi conduzido a Superintendência Regional, em Capanema. (Foto: Divulgação)

O investigado está sendo interrogado na Superintendência Regional da Zona Bragantina, com sede em Capanema. Após procedimentos cabíveis, ele será encaminhado para exames periciais no Centro de Períciais Científicas Renato Chaves e, posteriormente, será conduzido ao sistema penitenciário na Região Metropolitana de Belém. 

Crime brutal

Ravyla desapareceu na manhã do último dia 21 de junho, enquanto fazia compras na feira central do município. Segundo a mãe da criança, Melina Dagila, a menina a ajudava em casa e sempre ia às compras sozinha. 

Ravyla desapareceu após sair de casa sozinha para ir à feira (Foto: Divulgação)

Durante o depoimento de Melina à Polícia Civil, ela contou que a filha foi ao mercadinho para comprar alguns itens e chegou a retornar para casa, mas havia esquecido alguns produtos. Depois que voltou ao mercado, ela não foi mais vista.

Durante a investigação, o delegado-geral do Pará, Walter Resende, informou que testemunhas haviam dito que a vítima foi abordada por um vendedor de cosméticos, identificado como Zima Lima de Souza. Lá, ele ofereceu um produto à criança e a convidou para experimentar outras mercadorias na casa onde ele estava hospedado. 

Além de Zima, outras três pessoas teriam participado do sequestro, que ocorreu logo depois que Ravyla saiu do mercadinho”, disse Walter.

Trabalhadores da feira, que também prestaram depoimento à polícia, disseram que Ravyla foi vista pela última vez entrando em um carro Prata, modelo Fiat Uno. 

Na tarde do dia 25 de junho, o corpo da menina foi encontrado em uma área de mata, na zona rural do município de Viseu, horas depois o veículo usado também foi apreendido, dois dias depois. 

Imagens de câmeras de segurança flagraram o carro em que a menina foi sequestrada. (Foto: Polícia Civil – PA)

Os outros dois suspeitos, de acordo com a PC, foram identificados como Paulo Henrique, mais conhecido como Beleza, que teria sido o motorista do veículo que sequestrou a menina.

Já Genival Maciel Oliveira, mais conhecido como DJ ‘Maiquinho’ também foi apontado como participante do crime, segundo as investigações da polícia. Ele chegou a ser liberado, mas voltou a ser preso na última segunda-feira, em Capanema. O suspeito, que chegou a gravar um vídeo alegando inocência, foi espancado pela população antes de ser detido. 

Da esqueda para direita: Hemerson, Genival, Zima e Paulo. Todos envolvidos presos em uma semana pela PC. (Foto: Divulgação)

No início da Semana, o terceiro suspeito, Zima Lima, o vendedor que teria oferecido os produtos a Ravyla, se apresentou com o advogado na Delegacia-Geral, em Belém. Apesar de alegar inocência, já havia um mandado de prisão temporária contra o suspeito, que permanece preso. O inquérito, ainda conforme a polícia, será concluído após o resultado dos exames de necropsia da vítima.