8 de março de 2021

Jennifer Silva – Da Revista Cenarium

MANAUS – As polêmicas nomeações de David Almeida continuam. Agora, Fabrício Lima, ex-secretário condenado pelo Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM) a devolver aos cofres públicos R$ 2,6 milhões, será diretor de Área de Políticas Setoriais na Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc).

Nessa quinta-feira, 21, a REVISTA CENARIUM entrevistou o recém-nomeado, após a publicação do ato no Diário Oficial Eletrônico do Município (DOM) em 20 de janeiro.

Em 2020, Fabrício foi condenado por irregularidades nas contas durante sua gestão à frente da Secretaria de Estado da Juventude, Esporte e Lazer (Sejel), de 2016. Lima foi condenado pelo colegiado do TCE a devolver aos cofres públicos R$ 2,6 milhões. Já suas contas durante gestão à frente da Secretaria Municipal de Juventude, Esporte e Lazer (Semjel) também foram reprovadas pelo TCE-AM, em 2016, por irregularidades cometidas em 2013, sendo multado em R$ 8,8 mil.

Sobre as condenações que cercam suas gestões, Fabrício se posicionou e explicou como será o trabalho que irá desenvolver na gestão de David Almeida. “A Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania tem esporte dentro dela, tem uma série de secretarias dentro dela. Eu não chego para mudar nada, eu chego para somar e contribuir com meu conhecimento […] sobre as minhas condenações, eu já entrei com recursos”, explicou Lima.

Irregularidades

Entre as irregularidades detectadas em 2016, estava o atraso nos demonstrativos contábeis da secretaria durante sua gestão; impropriedades na contratação de serviços em locais gerenciados pela Sejel; ausência de pregão na contratação de materiais esportivos, onde o gestor não pôde comprovar uma despesa vantajosa para os cofres públicos, entre outras infrações.

Entre as irregularidades de 2013, estavam o não encaminhamento de documentos que comprovassem a realização dos serviços e entrega de materiais, indicando data, local e acompanhamento por servidores designados para comprovação dos eventos.

Sem respostas

Para confrontar a Prefeitura de Manaus, acerca da nomeação de Fabrício Lima, a reportagem entrou em contato telefônico com assessores de imprensa da Secretaria Municipal de Comunicação (Semcom) e solicitou algumas respostas. As perguntas foram formalizadas por e-mail, mas até a publicação desta matéria, a REVISTA CENARIUM não obteve respostas. Confira as perguntas enviadas.

1) Existe análise do currículo dos servidores antes da contratação dos mesmos? É um fator determinante?

2) A respeito da contratação do diretor de Área de Políticas Setoriais na
Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc),
Fabrício Lima, nomeado no dia 20 deste mês, a Prefeitura compactua com
práticas ilícitas?

3) Por qual motivo Fabrício Lima foi contratado mesmo respondendo
processos de órgãos de fiscalização públicas?

4) Isso não afetaria o trabalho da diretoria tendo ele como gestor?

5) É possível que a nomeação de Fabrício Lima seja reavaliada como foi a de Reizo Castelo Branco, Carlos Rene de S. Portta e Elias Emanuel?