Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
18 de abril de 2021

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC
Acompanhe nossas redes sociais

Com informações da Revista Fórum

MANAUS – A TV Cultura, emissora pública da Fundação Padre Anchieta, sediada em São Paulo, fechou um contrato de R$ 8 milhões com uma empresa chamada Blend Negócios, Divulgação e Editoração Ltda., para veicular por cinco anos o programa Manhattan Connection, que tem como um de seus âncoras o jornalista Diogo Mainardi. Antes, o programa passava na TV Globo.

O contrato está disponível de forma pública no site de editais da Fundação Padre Anchieta. O valor, no entanto, não é o que mais chama atenção no documento. A Blend, empresa que consta como licenciada, foi criada apenas um dia antes do negócio entre as duas partes ser assinado, em 28 de dezembro de 2020. O acordo com a FPA foi assinado em 29 de dezembro.

Além disso, o nome de Gilberto da Silva consta como único sócio da empresa. As informações de contato do empresário remetem a uma outra empresa, a Global Council of Sales Marketing (GCSM), que pertence ao Grupo Innsbruck.

O site da GCSM informa que a empresa é uma entidade de caráter institucional que sugere nomes das empresas e empresários para concorrer a prêmios que concede. Gilberto da Silva é membro do conselho editorial de uma das revistas produzida pela empresa para divulgar os eventos realizados pelo GCSM. A ligação de Gilberto com a GCSM é confirmada pelo próprio empresário em seu perfil no Linkedin. Na rede social, ele diz ser diretor de desenvolvimento de negócios no Grupo Innsbruck.

Gilberto, no entanto, não é o único nome que liga a GCSM à TV Cultura. O próprio presidente da Fundação Padre Anchieta, José Roberto Maluf, é citado como primeiro vice-presidente da empresa.

Além disso, a revista The Winners, produzida pela GCSM, recebe propaganda da emissora pública. Na edição que leva a imagem do advogado Luiz Flávio Borges d’Urso na capa, há propaganda do Manhattan Connection logo nas primeiras páginas.

Em nota, a TV Cultura informou que a Blend detém os direitos de produção e de exploração do Manhattan Connection, assumindo total e integral responsabilidade e custos pela produção do programa, inclusive a remuneração de todos os seus participantes.

“A remuneração da Blend para a disponibilização do conteúdo do programa ocorre exclusivamente pela participação no resultado financeiro mensal que for obtido com comercialização das quotas de patrocínio na exibição”, afirma a emissora em nota.

Mainardi

Em artigo publicado no portal Antagonista, Diogo Mainardi também confirmou o contrato milionário entre a Blend e a TV Cultura. Segundo ele, o Manhattan Connection é financiado por patrocinadores privados que são captados pela Blend, que depositam o dinheiro na TV Cultura. Parte dessa verba é repassada à Blend.

“O Antagonista, claro, não tem nada a ver com o Manhattan Connection, exceto por mim, que sou sócio do site e recebo um salário da Blend por meu trabalho no programa de TV, que iniciou em 2003”, afirma o jornalista.