28 de outubro de 2020

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC

Luciana Bezerra — Da Revista Cenarium*

MANAUS — O corpo da amazonense Deyna Chayena Nunes, 29 anos, encontrada morta em um apartamento no Centro de Gramado, Rio Grande do Sul, na última quinta-feira, 24, foi liberado, nesta segunda-feira, 28. Em entrevista exclusiva à REVISTA CENARIUM, o titular da Delegacia de Polícia de Gramado, delegado Gustavo Celiberto Barcellos, explicou que dará prioridade para a elucidação do caso e que a família realiza os procedimentos para o translado do corpo para Manaus.

“Estamos trabalhando com prioridade absoluta, já que é um fato incomum na nossa cidade. Gramado é uma cidade pequena e pacata. Crimes dessa natureza são difíceis de acontecer, mas ainda estamos aguardando o resultado da perícia e analisando imagens da região para identificar o suspeito”, frisa Barcellos. 

Questionado se Deyna havia encontrado o rapaz que vinha se comunicando pela internet anteriormente, Barcellos é enfático. “Não posso adiantar nada da investigação para não atrapalhar o nosso trabalho. Esperamos esclarecer o fato o mais breve possível, mas os detalhes da investigação não posso informar”.

Liberação do corpo

O corpo da amazonense deve seguir para Manaus ainda nesta segunda-feira, 28. Ainda de acordo com o delegado, a mãe de Deyna deverá prestar depoimento na tarde desta segunda-feira antes de seguir para o Amazonas para que seus argumentos sejam incluídos no inquérito.

Barcellos adiantou ainda que o corpo da amazonense foi periciado e está aguardando o resultado oficial para a conclusão do inquérito. “A princípio, a morte foi causada por asfixia. No entanto, é preciso aguardar a perícia do local pela equipe de criminalística para utilizar na investigação como digitais ou material genético, mas somente com o laudo final podemos concluir se a morte foi causada por algum tipo de violência ou apenas por asfixia”, disse o delegado.

Entenda o caso

A amazonense Deyna Chayena Nunes da Silva, morava em Criciúma, Santa Catarina, com algumas amigas. Segundo informações do delegado, a amazonense havia seguido para Gramado na quinta-feira, 24, para encontrar um rapaz desconhecido — conforme relatado em depoimento à polícia por testemunhas — , com quem a jovem estava se comunicando pela internet.

O último contato que Deyna teve com as amigas foi por volta das 19h30, quando ela enviou uma mensagem informando que o rapaz era estranho e que tinha “cara de malandro”. Contudo, Deyna não respondeu mais nenhuma mensagem recebida.

Como não obtiveram retorno, as amigas foram ao apartamento, onde Deyna estava. Ao chegarem no local, encontraram a vítima morta na cama, de bruços, seminua, e um travesseiro com marcas de maquiagem, no chão.

A suspeita é que o crime tenha sido um latrocínio, roubo seguido de morte, já que os objetos pessoais da vítima, como celular e dinheiro, não foram encontrados no local, segundo informou Barcellos à reportagem.

*Até a publicação deste conteúdo a mãe de Deyna não havia respondido nossas perguntas.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.