Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
17 de novembro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Com informações do Portal Alma Preta

O Flow Podcast, um dos mais ouvidos e rentáveis do Brasil, esteve no centro de uma polêmica durante as últimas semanas. As controvérsias se deram por conta de comentários feitos por um de seus apresentadores, Bruno Aiub, conhecido do grande público como Monark, no Twitter. Figura conhecida no universo bolsonarista, o apresentador questionou em uma postagem “ter uma opinião racista é crime?”. Após o episódio, o Flow Podcast perdeu patrocínio de empresas como IFood e Trybe. 

Em um papo com os fãs do Twitter, onde tem mais de 1,1 milhão de seguidores, o podcaster e influencer falava sobre o peso de falas de pessoas com projeção na vida de outras. “Opiniões não matam. Vai ver no necrotério se alguém teve uma crise aguda de opinião e morreu. É a ação que faz o crime e não a opinião”.

Patrocínios

A série de tweets pegou muito mal e, com isso, os patrocinadores optaram por encerrar a parceria com o Flow. Em comunicado, o IFood declarou ser protagonista na promoção de mudanças urgentes que favoreçam a diversidade e a inclusão e, de acordo com a empresa, ela repudia qualquer ato discriminatório e diferentes tipos de preconceito.

Sobre o fim da parceria com a empresa, Monark escreveu: “Flow só perdeu patrocínio porque hoje as empresas de marketing morrem de medo dessa galera canceladora, minha opinião ainda é que liberdade de expressão é também permitir que ideias preconceituosas sejam expressadas até para que possam ser corrigidas”.

O IFood é uma das empresas que mais apoia podcasts no Brasil, incluindo programas de cunho político progressista. O apoio ao Flow podcast incluía alguns cupons de desconto para novos clientes. Na última semana, o apresentador alegou em seu Twitter ter sido mal interpretado sobre o que havia dito em seu perfil e afirmou ser contra o racismo e a homofobia: “Todo discurso de ódio é maléfico à humanidade”, disse. 

Defesa de Bolsonaro

O apresentador do Flow Podcast já havia dito que a suspensão do canal de Jair Bolsonaro no YouTube, por conta da fake news que relacionou aplicações da vacina contra a Covid-19 à contaminação pelo vírus HIV, era um ato de censura. Para Monark, mentir deliberadamente, até num tema sensível como esse, seria “liberdade de expressão”.

“Eba censuraram o Bolsonaro! OBA agora foi um inimigo político! UHUL censuraram um cara babaca! Epa pera aí, censuraram um amigo meu? OPS tão ME censurando!? Quem poderia imaginar, que quando a censura começa não tem hora para acabar”, escreveu o youtuber.

O “Flow Podcast” tem mais de 3,4 milhões de inscritos no YouTube. O podcast de entrevistas já falou com vários artistas e personalidades políticas.