Imersão na Amazônia: terapeuta realiza evento voltado para autoconhecimento feminino

Priscilla Peixoto – Da Revista Cenarium

MANAUS — Com a proposta de imersão, libertação e cura dos males que aprisionam e impossibilitam o autoconhecimento, a terapeuta integrativa e mestre reiki Diovhana Mota vai realizar a segunda edição do ‘Imersão na Amazônia: vivência para mulheres’. As atividades serão realizadas nos dias 12 e 13 de fevereiro, no Amazônia Jungle Hotel, localizado na Estrada Manoel Urbano, KM 35 AM 070, Iranduba. Para participar do momento de autorresgate, basta acessar o link, se inscrever e efetuar o pagamento no valor R$746.

“Será uma egrégora linda no meio da Floresta Amazônica, viveremos dois dias muito especiais onde será possível imergir em si mesma, se reconhecer como potência, que é se libertar do que te aprisiona. Todos merecemos estar conectados à fonte divina dentro e fora de nós. Tenho outros tipos de vivências, mas a imersão veio numa proposta bem mais potente, por ser mais longa a duração”, diz a terapeuta.

De acordo com Diovhana, os participantes terão hospedagem com pensão completa, transporte fluviário até o hotel, workshops e práticas. “Teremos almoço e jantar no dia 12, café e almoço, no dia 13, o suporte fluviário, exceto terrestre, e todas as vivências facilitadas por mim”, explica.

Diovhana Mota atua como terapeuta há três anos (Reprodução/ Arquivo pessoal)

Percepções

Nascida em Santarém, no Pará, a terapeuta escolheu Manaus para residir há 15 anos e conta que desde muito nova já manifestava interesse pelo universo espiritual e tudo que ela identifica como “fora do comum e não superficial”.

“Sempre fui o ponto fora da curva da família”, diz Diovhana, em tons de riso e complementa. “Minha busca espiritual até então era para minha cura e libertação, foi quando a espiritualidade me colocou frente a frente com minha missão de alma”, revela.

Além de terapeuta, Diovhana se identifica como “facilitadora da expansão de consciência”, e ao longo do tempo percebeu o quanto a figura feminina precisa mergulhar no autoconhecimento e por diversas vezes não o faz.

“É o meu chamado. O servir como terapeuta integrativa revela o quanto as mulheres estão mais abertas para cura e, de certa forma, o quanto precisam também. O fato é que toda a nossa construção social atual nos afasta dessa realidade porque vivemos o momento do ocupar. Papéis, posições, e nos esquecemos do ser, estar. Da nossa natureza instintiva”, explica a mestre reiki.

Registro da primeira edição da Imersão (Reprodução/arquivo pessoal)

Mulheres e mãe terra

Quando questionada sobre a ligação da Amazônia e a natureza com o sagrado feminino, a terapeuta ressalta que as mulheres são semelhantes à chamada mãe terra e cíclicas como a lua e ressalta que a ligação da mulher com esses elementos é inerente a qualquer coisa.

“Às vezes, mesmo sem a consciência, estamos ritualizando nossas vidas. Assim como Pachamama, morremos e renascemos a cada novo ciclo. Sangramos, gestamos, trazemos vida à vida e voltamos às nossas conchas. Existe uma força dentro de todas nós que nos possibilita o contato direto com nossas profundezas: nossa mulher selvagem. Aquela que sente, que sabe, que comunica, que escolhe, que acolhe e que respeita”, ensina a mestre reiki.

Na leitura da facilitadora, os dias de imersão remete a uma prática mais comum de mulheres ancestrais quando podiam estar plenamente conectadas em diversos âmbitos. Prática que com o passar do tempo foi acabando. “Pachamama nos ensina, nos acolhe, nos ama e nos dá o alento, o alimento pro corpo e para alma. Nada melhor do que trabalhar energia feminina imersa neste lugar de paz e conhecimento”, finaliza.

Os interessados em mais detalhes sobre horários de saída e chegada no hotel podem entrar em contato pelo número: (092) 99151-9191.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

VOLTAR PARA O TOPO