Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
16 de setembro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml
Wesley Diego – Da Cenarium

SÃO PAULO – A artista Duhigó é a primeira mulher indígena a expor uma obra no Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (Masp), em São Paulo. A obra intitulada Nepũ Arquepũ está disponível para visitação desde 28 de agosto e fica em cartaz até fevereiro de 2022.

Com a missão de ser um museu diverso e inclusivo, o Masp acredita ser necessário agregar produções artísticas brasileiras. Segundo Amanda Carneiro, curadora da mostra onde está Nepũ Arquepũ, o trabalho de Duhigó fortalece a presença indígena no acervo da instituição e acrescenta:

“Junto a outros artistas indígenas, o trabalho permite que o público visitante do museu se aproxime da variedade, amplitude e da complexidade de saberes materiais e imateriais, filosofias e visualidades dessa produção tão rica”, destacou Amanda.

A obra Nepũ Arquepũ em exposição nos corredores do Masp (Divulgação/Assessoria)

A obra

O quadro Nepũ Arquepũ foi produzido em Manaus, em 2019. Com pintura em acrílico sobre madeira, Duhigó narra uma cena de sua memória afetiva, um ritual de nascimento de um bebê do povo Tukano. Em quase três metros de largura, a artista retrata o interior de uma maloca Tukano, o momento do parto até o descanso da mãe na rede, com o pajé e parentes próximos.

Nepũ Arquepũ já esteve em exposição em Belo Horizonte, Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo (Divulgação/Assessoria)

Duhigó

Amazonense e indígena, Duhigó é a sétima artista do Estado a compor o acervo do Masp. É filha de pai Tukano e mãe Dessana e representa em suas obras memórias e o cotidiano de etnias indígenas da Amazônia. Duhigó diz sentir muita alegria em expor sua obra no mais importante museu da América Latina. 

“Eu nem podia imaginar que isso poderia acontecer da forma que está acontecendo, uma obra de arte inspirada por mim chegar em um lugar tão importante. Sei que nem todos gostam das obras indígenas, mas sei que tem muita gente que gosta e está passando a gostar a partir do meu trabalho”, falou Duhigó. 

A artista indígena Duhigó e sua obra Nepũ Arquepũ (Divulgação/Assessoria)

Serviço

Onde: Museu de Arte Moderna de São Paulo Assis Chateaubriand (Masp) – Avenida Paulista, 1578 – Bela Vista, SP.

Quando: De 28 de agosto até fevereiro de 2022; às terças-feiras entrada gratuita, das 10h às 20h; Quartas a Domingo, das 10h às 18h.

Quanto: Adultos R$ 45; Estudantes/Professores R$ 22; Maiores de 60 anos R$ 22.