Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
30 de novembro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Com informações do G1

MANAUS – A Polícia Federal (PF) deflagrou a operação Investor, nesta terça-feira, 16, para desarticular um grupo criminoso especializado na extração ilegal de diamantes de duas terras indígenas em Rondônia.

Ao todo, os agentes cumprem sete mandados de busca e apreensão nas cidades de Espigão do Oeste (RO), Cerejeiras (RO), Clementina (SP), Montenegro (RS), e Domingos Martins (ES). Cerca de 35 agentes da PF participam da operação.

De acordo com a investigação, os diamantes eram extraídos de forma clandestina das Terras Indígenas Sete de Setembro e Reserva Roosevelt, nos municípios de Cacoal (RO) e Espigão, respectivamente. A atuação do grupo em área indígena foi descoberta depois que um garimpeiro de Espigão do Oeste começou a procurar investidores na internet para fazer garimpagem de diamantes em Rondônia.

“No decorrer das investigações, a polícia identificou os investidores do garimpo, além de intermediadores, garimpeiros e indígenas envolvidos”, diz a PF.

Ainda conforme revelou a polícia, esses investidores moram em outros Estados e, ao longo de vários meses, enviaram altas quantias em dinheiro para financiar a extração de diamantes das reservas indígenas. Depois de retirar as pedras de Rondônia, as mesmas eram enviadas para fora do País e vendidas no exterior.

Divisão de valores

Segundo a PF, a operação Investor descobriu qual era a porcentagem de lucro entre os integrantes do grupo criminoso:

  • 20% do lucro obtido com os diamantes ficavam com garimpeiros
  • 20% ficavam para indígenas que compactuavam com garimpos na área
  • outros 20% eram utilizados para custos de máquinario/produção
  • e o restante, 40%, ficavam totalmente nas mãos dos investidores

Os mandados de busca e apreensão desta operação foram autorizados pela Vara Federal da cidade de Vilhena (RO).