28 de fevereiro de 2021

Priscila Peixoto – Da Revista Cenarium

MANAUS- “Minha vida se resume aos animais”, assim diz a autônoma Tânia Mussa, de 62 anos, responsável por cuidar de quase 300 cães em um abrigo situado no Monte das Oliveiras, Zona Norte de Manaus. O local precisa de ajuda financeira ou material para que os bichos continuem tendo a assistência que precisam. Apaixonada pelos animais, a autônoma passa por dificuldades financeiras e teme fechar o abrigo.

Custos com alimentação dos bichos, produtos de higiene, pagamento dos funcionários e aluguel são as principais despesas fixas que preocupam dona Tânia. Atualmente, ela alega estar com uma dívida de quase R$ 50 mil reais em função das despesas acumuladas relacionadas ao abrigo.

Atualmente o local já abriga mais de 250 cães (Reprodução/Instagram)

“São quase duas toneladas por mês de ração, sessenta quilos de ração por dia ou mais, tem os custos com clínica veterinária, táxidog, o rancho dos funcionários que são três ao todo. Enfim, é toda uma estrutura para que esses animais tenham um canto digno para ficar”, revelou a protetora dos animais.

Missão de amor, missão difícil

Segundo a autônoma, a vontade de cuidar e proteger os animais vem desde a infância e, há 31 anos vem se dedicando à missão que, segundo ela, é muito especial. “Eu amo o que faço, mas não tem sido fácil e preciso de ajuda para manter o abrigo que é extremamente importante para os animais. Se isso aqui acabar, o que vou fazer com eles?”, desabafou dona Tânia.

Tânia tem paixão por cães desde a infância e presta um serviço para sociedade cuidando dos animais abandonados (Reprodução/Instagram)

O abrigo que hoje funciona na zona norte já passou por vários endereços. Um deles foi no centro da cidade onde dona Tânia abrigava 67 cães dentro da própria casa, mas teve que sair por conta de denúncias e da legislação municipal que permite apenas que a pessoa tenha 10 animais em casa. O espaço utilizado hoje é bem maior e mais saudável para os animais.  De acordo com a protetora, cerca de 30% da ajuda que chega até o abrigo vem de amigos mais próximos.

Abandono

Apesar do abandono de animais ser considerado crime no Brasil, a protetora dos animais revela que a maioria dos bichos cuidados por ela estavam abandonados nas ruas ou até mesmo na porta do abrigo. A Constituição Federal afirma que o poder público deve proteger os animais por meio de leis, mas não é difícil ver animais, principalmente cachorros, em situação de rua.

“Existe muito a situação de donos quererem se desfazer do pet por algum motivo, e me procurarem. Nesse caso, eu não aceito mais, até porque sou contra o abandono de animais. Não façam isso, eles têm sentimentos, são parceiros e sentem falta dos donos”, adverte a protetora. Tânia já resgatou muitos animais em situação de rua, maltratados e em situação de sofrimento. Mas por conta da situação difícil, a autônoma deu um freio nos resgastes.

Como ajudar

Aos interessados em ajudar o abrigo, é só entrar em contato com  fone/whats: (092) 9326-1399 ou fazer um PIX para o mesmo número. Além disso o interessado também pode entrar em contato por meio da rede social @protetora.taniamaussa47 ou contribuir entrando na vakinha online feita para ajudar. A meta é chegar a R$ 10 mil reais.