26 de novembro de 2020

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC

Náferson Cruz – Da Revista Cenarium*

MANAUS – Um dos criminosos mais procurados pela polícia amazonense, Lenon Oliveira do Carmo, de 39 anos, conhecido como “Bileno”, preso durante uma operação orquestrada pelas polícias do Amazonas e Ceará, no sábado (17), no município de Caucaia, litoral cearense, vivia uma vida de luxo em Fortaleza com sua família.

Como forma de dificultar o reconhecimento pelas forças de segurança, Lenon havia adotado o nome falso de “Aylon Soares Cardoso” e feito diversas plásticas e procedimentos estéticos.

Procurado desde fevereiro de 2018, Lenon tem condenações que somam mais de 60 anos. O criminoso de alta periculosidade era uma espécie de “representante executivo” de Gelson Carnaúba, conhecido como “Mano G”, líder do Comando Vermelho (C.V) no Amazonas, facção criminosa de atuação nacional.

Segundo a polícia, Lenon, em liberdade, ajudaria Gelson a concretizar as ações do grupo criminoso, bem como no gerenciamento dos esquemas de tráfico de drogas.

Transferência

Lenon foi transferido junto com outros líderes de facção do sistema penitenciário do Amazonas em julho de 2017, após o Estado registrar recorde de assassinatos com intensa violência dentro dos presídios. Foram mais de 100 mortes em decorrência do confronto de facções criminosas.

Com a transferência, ele foi enviado ao presídio de Mossoró, no Rio Grande do Norte, onde ficou por quatro meses antes de retornar ao Amazonas.

De volta ao Estado da região Norte, Lenon obteve na Justiça o direito à prisão domiciliar com uso de tornozeleira eletrônica. Mas, assim que foi enviado para casa, destruiu o aparelho e fugiu, buscando refúgio em Fortaleza.

(*) Com informações da assessoria SSP/AM

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.