Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
24 de novembro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml
Gabriella Lira – Da Cenarium

MANAUS – O presidente da República, Jair Bolsonaro (Sem partido), ironizou, durante entrevista a uma emissora de TV de Manaus, na tarde desta quarta-feira, 27, eleitores que pedem a saída dele do governo federal. O chefe do Executivo afirmou que estes não sabem fazer um cálculo de matemática básica, após 14 anos do governo PT. A entrevista fez parte da agenda extraoficial de Bolsonaro, na capital Amazonense, onde desembarcou na noite desta terça-feira, 26, e deverá sair ainda na noite desta quarta-feira (27).

“Fui em um evento em Campinas (São Paulo), tinha cientistas, jovens universitários, ‘molecada’ um gênio. Quando eu fui falar, duas estudantes de 20 anos de idade começaram a gritar ‘Fora Bolsonaro’. Perguntei: ‘Me respondam quanto é 7×8? Tá difícil, né? Quanto é uma raiz quadrada de 4?’ Não responderam, mas gritavam ‘Fora Bolsonaro’, contou o presidente.

Leia também: Em encontro de pastores, Bolsonaro direciona discurso para eleitores fiéis

Sobre os “responsáveis” pela falta de conhecimento dos jovens, o presidente “jogou a culpa” em governos anteriores, principalmente, nas gestões do PT.

“O que a juventude aprendeu com 14 anos de PT, tendo o ministro Haddad? Tem uma prova chamada PISA (Programa Internacional de Avaliação de Alunos), uma prova internacional que pega 70 países, nós estamos nos últimos lugares em Ciências, Interpretação de Texto e Matemática. Você manda um garoto de 15 anos ler um texto de uma página e quando termina o texto pergunta ‘o que você entendeu?’, no final ele não sabe. Pergunta quanto é 7×8 e não sabe”, adicionou ainda.

Visita a Manaus

O presidente da República desembarcou em Manaus para cumprir uma agenda não aberta ao público, mas com compromissos apenas com a comunidade evangélica. Jair preferiu evitar a imprensa e se mostrou à vontade com os eleitores. O representante federal foi convidado pelo governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), ainda na noite de terça-feira (26), a participar da formatura de mais de 400 policiais militares (PMs) na cidade.

Na manhã desta quarta-feira (27), ele participou da 1ª Consagração Pública de Pastores, que aconteceu no Centro de Convenções Vasco Vasques, na zona Oeste de Manaus. Para os eleitores da igreja evangélica, Bolsonaro discursou sobre a construção de família tradicional brasileira. “E a família está definida na Bíblia e está definida na Constituição também. Nela diz que (família) é (união de) homem e mulher”, afirmou Bolsonaro. Além disso, o presidente explicou para as pessoas que elas serão o que plantarem a partir de agora. “Eu agradeço a Deus pela minha vida e pela oportunidade”, destacou.

Leia também: Comentários de jogador de vôlei levantam debate sobre liberdade de expressão e discurso de ódio contra LGBTQIA+

Ainda durante a agenda em Manaus, o presidente almoçou com apoiadores e autoridades militares nas dependências do Centro de Instrução de Guerra na Selva (Cigs), de onde saiu por volta das 14h20, sem falar com a imprensa, rumo à emissora de TV local.

Liberdade de imprensa

Em entrevista a uma rádio local, ainda na manhã desta quarta-feira (27), Bolsonaro destacou a importância da liberdade de imprensa, desde que seja usada com responsabilidade. Nesta semana, a live onde Bolsonaro replicava fake news sobre Aids e vacina contra a Covid-19 foi banida do Facebook e do YouTube.

“Nós carecemos, sim, de uma imprensa isenta. Liberdade de imprensa acima de tudo, obviamente, com responsabilidade. Fui bastante criticado, mas de forma justa e é isso que carecemos no Brasil”, relatou Bolsonaro durante entrevista a uma rádio nacional.

Além da liberdade de imprensa, o presidente comentou também sobre o preço no aumento do combustível e sobre o relatório da CPI da Covid, aprovado nessa terça-feira, 26.