Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
15 de maio de 2021

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC
Acompanhe nossas redes sociais

This post is also available in (Post também disponível em): English (Inglês)

Mencius Melo – Da Revista Cenarium

MANAUS – Um vídeo inusitado está circulando no universo web e chamando atenção. O caso aconteceu na cidade de Quezon, nas Filipinas. Durante a poda de uma árvore, um homem descobre que, em um dos galhos, estão alojadas duas grandes cobras. As pítons aparentemente medindo mais de três metros caem assim que o galho é atingido pela serra. No impacto as cobras se espalham.

Veja também:
Acidentes com cobras na região amazônica são mais comuns com jararacas, diz biólogo
Jiboia aparece em loja, aprecia vitrine e empresária brinca: ‘Nem as cobras resistem

É nesse momento que o surreal acontece. No minuto em que as cobras rastejam em meio à lama do terreno, um dos homens salta sobre os animais na tentativa de imobilizá-los. Acontece então a luta para agarrar as cobras. O detalhe é que o homem no vídeo segura em uma das mãos, a primeira cobra e na sequência tenta agarrar a segunda.

O bote para imobilizar o segundo réptil, acontece em questão de segundos. A reação das cobras é automática e elas passam a se enrolar, uma em cada braço. A luta só se encerra quando outros três homens ajudam o primeiro a se desvencilhar dos répteis. Nos momentos seguintes, os animais são imobilizados e postos em dois sacos plásticos.

Não tente fazer isso…

O biólogo Fabiano Gazzi assitiu ao vídeo e recomendou não repetir a peripécia. “O procedimento correto no caso de visualizar uma serpente em meio urbano e chamar as autoridades, no caso os bombeiros que tem treinamento e material próprio para a captura como ganchos e gaiolas”, aconselhou o cientista.

Confira também:
‘Adoção’ de cobras é permitida por lei; especialista orienta sobre procedimentos
Estudo canadense diz que cobras gostam de formar ‘panelinhas’ com outras cobras; assista ao vídeo

Outro detalhe é a origem da espécie. “Os pítons não são serpentes peçonhentas o que diminuiu o risco de acidentes como ocorreu com o jardineiro”, detalhou. “Da mesma família que o píton são as sucuris e as jiboias, ambas ocorrem no Brasil. Não possuem veneno, matam por constrição, apertando a vítima até que esta não consiga mais respirar”, explicou.

Confira o vídeo:

Para Fabiano Gazzi, apesar dos acidentes em áreas urbanas, fruto da expansão imobiliária em muitas cidades mundo afora, o que reduz o habitat de muitas espécies, as cobras têm função primordial na natureza. “As serpentes são importantes em várias funções no ambiente, como exemplo, o controle de pragas”, finalizou o biólogo.