Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
16 de setembro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Danilo Alves – da Revista Cenarium

BELÉM(PA) – A Polícia Civil (PC) iniciou nesta sexta-feira, 30, a investigação sobre o ataque que resultou na morte de um peixe-boi na região insular do município do Acará (distante 116 quilômetros de Belém). Moradores da ilha do Maracujá registraram o momento em que encontraram o mamífero ferido, boiando nas águas, sem reagir a nenhum estímulo. De acordo com os ribeirinhos, o animal foi baleado por caçadores.

Pescadores da região informaram que o animal estava sendo caçado pela região do município do Acará (Vídeo:Divulgação/AFP).

O diretor da Divisão Especializada em Meio Ambiente e Proteção Animal (Demapa), Waldir Freire, informou que já está apurando o episódio. “Ao tomar conhecimento do fato junto a outros órgãos, houve o deslocamento de uma equipe para o local em que o animal foi encontrado. Um inquérito policial será instaurado para investigar o caso, que está sendo tratado como crime ambiental”, disse o delegado.

O diretor da Demapa também informou que o corpo do peixe-boi foi levado para o museu Emílio Goeldi, onde será constatado durante perícia de especialistas a causa da morte do animal. “A partir desta semana ouviremos moradores e testemunhas”, concluiu.

De acordo com Reinaldo Rodrigues, da Associação de Moradores Extrativista e Pescadores da Ilha do Maracujá (Amepi), a caça do animal, que é ameaçado de extinção, é comum na região. “Os caçadores perseguem os peixes-boi durante a noite. Com certeza, esse animal foi perseguido antes de ser baleado. O corpo dele foi encontrado no início da manhã por pescadores”, comentou.

Novos detalhes que possam ajudar no trabalho da polícia ou denúncias contra maus-tratos com animais em extinção podem ser denunciadas pelo telefone 181, onde é possível denunciar de forma anônima.