21 de outubro de 2020

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC

Da Revista Cenarium*

PORTO VELHO, RO – Duas novas espécies de peixes foram descobertas no Rio Madeira: a Odontonstilbe pacaasnovos, em Rondônia, e a Characidium nambiquara, em Mato Grosso. As descrições foram publicadas na revista científica Journal of Fish Biology. As informações constam no Portal G1.

Os nomes escolhidos fazem referência ao Parque Nacional Pacaás Novos, lar de Odontonstilbe, e o outro homenageia o povo indígena Nambiquara, que habita na área onde o Characidium foi encontrado. Ambos medem cerca de dez centímetros.

As justificativas para o reconhecimento são as diferenças morfológicas e moleculares diferentes das espécies já descritas na literatura amazônica, principalmente as cores, tamanho e número de escamas.

A pesquisa em Mato Grosso demorou nove anos para ser finalizada e foi feita pelo biólogo e professor da Universidade Federal de Rondônia (Unir) Willian Ohara e a pesquisadora Ângela Zanata, da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Os professores explicam no artigo que o nambiquara é diferente dos outros peixes da espécie, principalmente porque tem um padrão de cores “manchadas” e traços pretos, além de uma área entre as nadadeiras do peitoral completamente nua, sem escamas.

Characidium nambiquara, nova espécie de peixe encontrada no Rio Madeira — Foto: Journal of Fish Biology/Reprodução
Characidium nambiquara, nova espécie de peixe encontrada no Rio Madeira (Journal of Fish Biology/ Reprodução)

“Essa espécie vive em corredeiras na região de Comodoro (MT) e é extremamente difícil de encontrar porque os riachos têm muitas pedras. Desde quando descobri, tivemos que fazer cinco expedições para capturar exemplares. Para descrever uma espécie é preciso de mais de dez exemplares e a cada expedição a gente pegava dois”, explica o professor Willian Ohara.

Já a espécie rondoniense foi catalogada em dois anos por Willian, Junior Chuctaya e Luiz Malabarba. Ela se diferencia das demais pela quantidade de escamas e coloração. Tem barriga prateada e o resto do corpo amarelado, quase dourado, com tons em laranja nas nadadeiras.

“Esse já tive a felicidade de demorar menos. Foram apenas dois anos. O ICMBio emprestou quatro brigadistas, que junto comigo e outros dois pesquisadores entraram por dentro do parque através de trilha. A expedição durou sete dias, nós percorremos mais de 70 quilômetros a pé, no final de 2018”, lembra Willian.

Odontostilbe pacaasnovos, descoberto em Rondônia — Foto: Journal of Fish Biology/Reprodução
Odontostilbe pacaasnovos, descoberto em Rondônia (Journal of Fish Biology/ Reprodução)

Por estar dentro do Parque, o Odontonstilbe pacaasnovos está protegido, segundo os pesquisadores. Entretanto, o Characidium nambiquara pode ser considerado como uma categoria em possível situação de ameaça por causa da pecuária e agricultura na região de Comodoro que, em alguns casos, provoca erosão do solo, gerando o assoreamento dos rios.

(*) Com informações do G1

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.