Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
17 de maio de 2021

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC
Acompanhe nossas redes sociais

Alessandra Leite – Da Revista Cenarium

MANAUS – Considerado um dos cronistas mais sagazes da vida carioca no início do século 20, o escritor e jornalista João do Rio, autor do clássico “Um Homem Múltiplo”, foi o escolhido para ser homenageado em comemoração ao Dia Mundial do Livro, nesta sexta-feira, 23, durante um dia inteiro de palestras, recitais e performances, via live, pela Fundação Municipal de Cultura e Turismo (Manauscult).

Durante a abertura, em videoconferência, o escritor e presidente do Conselho Municipal de Cultura (Concultura), Tenório Telles, enalteceu a importância de eventos simbólicos, porém significativos, em favor do livro e da leitura para o País, para Manaus, para o Amazonas e para o mundo. “Queremos fomentar a cultura do livro e da leitura em nossa cidade, que são fatores fundamentais na formação da juventude, principalmente, e da transformação na vida das pessoas”, destacou.

Telles falou sobre o dia 23 de abril, explicando a importância da data para a literatura, dia escolhido em homenagem a um dos poetas e dramaturgos mais importantes da história, William Shakespeare, cujas obras, segundo o presidente do Concultura, são atemporais e transformadoras. A data também celebra o escritor espanhol Miguel de Cervantes, autor de Dom Quixote, cuja obra, enfatiza Telles, é um romance fundamental que foi capaz de mudar o percurso da prosa romanesca na cultura ocidental e, consequentemente, nas demais culturas.

Para a autora Leyla Leong, no momento em que o livro como objeto “tem seus dias contados, absorvido por outro tipo de suporte, o que tem a comemorar é a indispensável publicação e disseminação das obras artísticas, literárias e científicas para benefício da humanidade em outro tipo de plataforma”. Na avaliação da escritora, o livro de papel, a encadernação e impressão é uma espécie em extinção. “As bibliotecas, cada vez mais, se aproximam dos museus”, observa Leyla Leong.

O Rio de Janeiro teve grandes cronistas que fizeram a fama dessa cidade maravilhosa. Entre os mais notáveis, Rubem, Braga, Fernando Sabino, Carlinhos Oliveira. Sobressaindo a eles, um mestre: João do Rio e sua visão da “Alma Encantadora das Ruas”. Um verdadeiro encantamento.

João do Rio

João do Rio é o autor homenageado pela Fundação Municipal de Cultura neste Dia Mundial do Livro (Reprodução/Internet)

“E o autor brasileiro escolhido para ser homenageado neste dia consagrado ao livro no mundo é o grande cronista, jornalista, o saudoso João do Rio, um dos autores expressivos da literatura da Belle Époque, no início do século 20 no nosso País, um autor que, felizmente, está sendo resgatado após um longo esquecimento e está, neste momento, tendo a sua obra reeditada por várias editoras. É uma alegria, pois isso também ilustra a força da literatura, a força da palavra”, salientou Tenório.

A programação, que tem como público-alvo, acadêmicos, mestres e demais interessados em literatura, contará com leitura de crônicas e pausas poéticas com recital lírico em homenagem ao poeta Thiago de Mello, ao longo do dia e pode ser acompanhada pelas redes sociais da Manauscult.

Às 14h, o professor aposentado da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), José Seráfico, fará uma apresentação sobre “João do Rio: um homem múltiplo”, seguida de um recital de uma crônica pelo ator e gestor do Museu da Cidade de Manaus, Leonardo Novellino.